aerOPOrto


Privatização da TAP

Página para discussão de tudo o que tenha a ver com a venda de 61% da TAP ao consorcio Atlantic Gateway, liderado por Humberto Pedrosa e David Neeleman.


311 comentários

http://www.publico.pt/1749893

Atrevo-me a dizer que parece escrito por mim! A parte de tirar o P da TAP está 5 estrelas.🙂

Comentar por Diogo

Brutalmente contundente…! Tinha lido ao lado do artigo que pus aqui no blog esta tarde, mas passou-me, outro ‘blogger’ atento fê-lo por mim!

Comentar por Luis Abreu

É muito bem feito !.Todos os utilizadores do AFSC deveriam boicotar a TAP. Escalas só em Madrid e Frankfurt e Londres !. Não façam escalas em Lisboa e deixem de voar na TAP !. Com um pouco mais de esforço, para além da Ryanair e agora da Easyjet, vamos todos tentar que também a Transavia consiga ultrapassar a TAP !.

Comentar por Carlos Sousa

O problema é mesmo esse a TAP não ser privada. É o centralismo, é a área de influência do grande Porto, Norte, centro e Galiza terem tantos potenciais passageiros (+população) como o mesmo raio kilometrico de população de Lisboa e vale do Tejo. Quem mantém isso somos todos nós! Para além de que não faz sentido nenhum falar-se em escalas em Lisboa para a maioria dos países europeus. Ainda bem que temos as low-cost ca em peso e mês após mês, ano após ano, vão reduzindo a cota da TAP no AFSC. Não digo que tudo seja mau com a ponte aérea, mas no abandono de rotas com taxas de ocupação de 90% a TAP só afundou um pouco mais a sua influência no AFSC. Agora todos os que utilizam o aeroporto do Porto deveriam optar por voos diretos para a Europa (a TAP quase não os tem…). Não é boicote nenhum é a lei do mais forte, é optar por voos diretos e mais económicos, é optar por voar com quem aposta realmente no nosso aeroporto e na nossa geografia. Eu não boicote, somente não uso a ponte aérea e o mínimo possível a nossa companhia de Lisboa🙂 façam o mesmo

Comentar por Diogo

Pois eu cá, já deixei de voar com a TAP, há muitos anos !. Antigamente era passageiro frequente da Air France e para todo o lado que ia, fazia escala em Charles de Gaulle. Com o abandono dos equipamentos da Air France, comecei a viajar na antiga Portugália para o mesmo CDG, que operava em codeshare com AF. Mais tarde, foi através da Lufthansa, via Frankfurt, que me liguei e ligo à Europa e ao Mundo !. Nunca gostei da TAP e sobretudo agora, com estas escalas ridículas em aviões turbohélices, em Lisboa, TAP JAMAIS !!!.

Comentar por Carlos Sousa

Arrisco a entrar nesta discussão apesar de ter uma opinião diferente da maioria dos que aqui se expressaram. Há uma evidente contradição no argumento utilizado, por quase todos aqui. Por um lado defendem que a TAP deveria ser 100% privada e por outro lado estão indignados pelas decisões tomadas pela actual gestão da TAP que está entregue aos privados. Não faz sentido pretender que a TAP seja gerida exclusivamente com base em critérios de rendibilidade das operações e depois indignarem-se com as consequências das decisões da gestão privada.
Eu defendo que a companhia deve ser pública porque entendo que o critério que deve prevalecer na gestão do transporte aéreo deve ir muita para além da mera rendibilidade restrita da TAP, uma vez que existem custos e benefícios para os “stakeholders” que pode compensar economicamente o conjunto da economia regional e nacional manter rotas deficitárias e que um accionista privado não aceitará jamais manter.

Comentar por J. Tavares de Moura

Por isso mesmo não há contradição alguma.
Ou é uma coisa ou outra,

Por falar nisso, ontem tive a minha primeira (e espero que última) experiência na ponte aérea – horrível!
Nem achei má ideia inicialmente mas aquilo não são aviões que se apresentem. Miserável. sem falar nos atrasos.

Comentar por Joao Carvalho

Todos os portuenses e nortenhos deveriam boicotar a TAP. Façam como eu, escalas apenas em Madrid e Frankfurt !. Nunca fazer escalas em Lisboa e nunca voar na TAP !.

Comentar por Miguel Guimaraes

http://24.sapo.pt/article/lusa-sapo-pt_2016_06_28_525832934_-o-volume-de-negocios-vai-decrescer—-fernando-pinto

Será que o ‘Brexit’ nos vai realmente afectar? de qualquer maneira, a saída do Reino Unido da UE ainda vai demorar para ser uma realidade…

Comentar por Luis Abreu

Desculpas por um ano que parece que vai ser muito mau.

Comentar por nunopinheiro

Obviamente que o Brexit têm potencial para perturbar a economia e as relações do Reino Unido com a Europa, mas neste momento acho que ainda é cedo para tirar conclusões.

Comentar por Pete351

Em Maio, foram +60,5% ou mais 33.230 passageiros que em Maio de 2015 e +129,2% ou mais 49.678 que em Maio de 2014, o que significa que o aumento em dois ano foi maior que o melhor total mensal do ano de 2014 (45.887 em Julho).

Os dados a que o PressTUR teve acesso mostram que, assim, nos primeiros cinco meses deste ano 346.155 passageiros já voaram entre Lisboa e o Porto, com aumentos em 47,1% ou 110.807 relativamente ao período homólogo de 2015 e em 109,5% ou 180.995 relativamente a 2014.

É inegável, por conseguinte, que independentemente das campanhas políticas e à tentativa do comboio de se afirmar nesse mercado, o público está a aderir aos voos entre Lisboa e o Porto e que a ‘ponte aérea’ tornou a oferta ainda mais interessante.

Resta saber o impacto nas contas da TAP, pois crescer no Lisboa – Porto não dá a mesma receita que crescer no Lisboa – Luanda e nesta rota até está a diminuir (para ler mais clique: TAP reduz operação para Luanda em 20% a partir de 1 de Julho).

A presstur irrita tanto, são mesmo centralistas nojentos

Comentar por Allure

Allure vamos ter calma, muito deste tráfego extra é gente que não considerava vir ao porto ja que o voo que pretendiam era a partir de Lisboa, imagina alguém de Aveiro com destino ao Brazil, agora é muito mais vantajoso sair do Porto até porque o estacionamento/portagens é mais fácil/barato, do que ir ate Lisboa, o mesmo se pode dizer para Coimbra etc.

Comentar por nunopinheiro

Lufthansa Ground Services criou centro de serviços inovador no Porto e estima contratar 200 trabalhadores

http://www.porto.pt/noticias/lufthansa-ground-services-criou-centro-de-servicos-inovador-no-porto-e-estima-contratar-200-trabalh

Companhias de sucesso agem assim

Comentar por Allure

hoje todos os avioes da ponte aerea para lisboa estao a sair do porto com 1 a ate 2 horas de atraso…. que se anda a passar com os voos?

Comentar por Nes

Normal
Deviam é ser todos cancelados.

Comentar por luis

Até terem o avião de reserva é provável que isto aconteça. Mas ao ter uma frequência horária nem se nota muito.

Comentar por Pete351

já há uma noticia que vai haver ligação entre Portugal e China com 2 voos por semana, mas claro deve ser para Lisboa. desde a privatização não há 1 única medida boa para o Porto… e o pior é que a TAP teoricamente é pública…

Comentar por Nes

Para Lisboa, sim, e ainda bem. Mas a operação será de uma companhia chinesa, não da TAP.

Comentar por Pete351

Porque não me surpreende esta notícia?!?

https://www.publico.pt/economia/noticia/a-nova-ponte-aerea-nao-travou-perda-de-quota-da-tap-no-porto-1733094

Comentar por Luis Abreu

Pena é não deixar de vez e ficar espaço livre para quem na realidade quer apostar no AFSC que não é o caso do consorcio nem do governo…

Comentar por Ricardo Sousa

Parece-me impossível, impensável, que a TAP abandone totalmente o AFSC… penso que seria uma primeira mundial, uma companhia dita de ‘bandeira’ deixar o 2° aerporto do seu país, pelo menos a famosa ‘ponte aérea’ OPO-LIS ficaria sempre, nem que seja para deixar uma quota ‘marginal’ no AFSC; continuar a achar no entanto que deixar um aeroporto com a qualidade do nosso AFSC entregue às ‘low-cost’ seria uma tristeza, quase um desperdício…!

Comentar por Luis Abreu

Enquanto contribuinte e utente do AFSC, o que lamento é que se esteja a injectar na TAP, o dinheiro dos meus impostos (nos 50% nacionalizados). Eu recuso-me a voar na TAP!. Por mim os Transportes Aereos da Portela, podiam deixar de voar, definitivamente, para o Porto !. Só é pena, que este governo tenha revertido a privatizaçã , e termos agora TODOS que subsidiar mais um BURACO FINANCEIRO SEM FUNDO…………

Comentar por Carlos Sousa

Se achas que a TAL é uma companhia de bandeira só se for a da Camara Municipal de Lisboa. De resto não vejo a Tal a representar mais nenhuma. E em relação á ponte aérea, temos mais HUB’s que são alimentados a partir do AFSC. Tal como Madrid, Paris, Frankfurt, Turquia, Inglaterra que tem muito mais destinos e mais baratos que a TAL. Alem disso os meu impostos não tem de andar alimentar empresas tecnicamente falidas.

Comentar por Ricardo Sousa

Luís, o que não nos faltam são companhias de bandeira: Iberia, Lufthansa, British Airways, Air Transat, Air Brussels, etc, etc……..

Comentar por Carlos Sousa

Sim felizmente a TAL reduz.
Mas as companhias que interessam aumentam a saber:
Ryanair
Luftansa
Easy Jet
Turkish
Transavia
CSA
Aigle Azur
Brussels
ETC

Comentar por luis

Infelizmente, o que não surpreende é o tom tendencioso da noticia…

Comentar por Pete351

O pessoal tem de passar a ver a TAP apenas como outra companhia aérea, se tem problemas com ser publica faz de conta a culpa é do seu acionista, isto é nos e como nos voltamos…. Se querem boicotar alguma coisa Boicotem o governo do estado que é quem tem culpa de uma empresa pública deficitária que não presta serviço publico, ao menos a empresa publica do governo regional dos Açores faz serviço publico para as ilhas que a sustentam. Infelizmente também me parece muito mal gerida….

Comentar por Nunopinheiro

quem comprou a Tap gastou 100M, alguém
sabe quanto foi gasto pela tap pelos aviões todos comprados á azul?

Comentar por Nes

Ao que sei a TAP não comprou nada ficou apenas com os leasing da azul.

Comentar por Nunopinheiro

Ups a rota Vigo – Lisboa ainda não começou mas parece que as coisas não estão a correr mui bem.

http://www.farodevigo.es/gran-vigo/2016/05/12/tap-lejos-ocupacion-optima-vigo/1459553.html

Comentar por Minhoto

Ora bolas, parece que está a dar certo a ponte aérea dos ‘Transportes Aéreos da Portela’…

http://rr.sapo.pt/noticia/52767/passageiros_dao_nota_positiva_a_ponte_aerea_porto_lisboa?utm_source=rss

Comentar por Luis Abreu

É um bom serviço, fico satisfeito por ver que está a ser bem recebido e com bons resultados operacionais.

Comentar por Pete351

Estranho é dizer que com 65% de ocupação a rota é bem sucedida, tendo em conta que a TAP cortou rotas no aeroporto do Porto com cerca de 90% de ocupação.

Comentar por Pedro A.

65% é sucesso? Realmente, para quem cortou rotas com mais de 90% de ocupação, não me parece.
É um péssimo serviço que serve apenas para encher a Portela e justificar escalas em Lisboa

Comentar por Allure

Eu aproveitava para perguntar aos mais entendidos, usar ATRs não é um pouco degradante? é certo que nunca viajei em tais aparelhos, mas usar aviões a turbohélice?!? quanto aos 65% de ocupação, a ‘Allure’ disse tudo…
O que é interessante de constatar nas estatísticas é que o n° de passageiros tem aumentado consistentemente desde que os ‘Transportes Aéreos da Portela’ voltaram para casa deles…!

Comentar por Luis Abreu

Eu já voei algumas vezes em ATR, para saltos curtos é bem agradável, nada a dizer.
65% a questão é saber se os voos que suprimiram tinham essa ocupação em Abril.
Mas em abril se publicarem os números ficamos a saber se a TAP perdeu ou ganhou pax no aeroporto do Porto, o que parece certo é que o trafego se encontra em franco crescimento.

Comentar por nunopinheiro

mas alguém sabe se com este “sucesso” da tap como andam os voos da Ryanair para lisboa?

Comentar por nes

Em circunstancias normais, uma operação Porto-Lisboa não é directamente comparável com um Porto-Barcelona/Bruxelas/Milão/Roma. Neste caso acresce que a Ponte Aérea é um serviço shuttle, alimenta o hub da companhia e é operado por equipamento óptimo, enquanto os BCN/BRU/MXP/FCO alimentavam outras companhias e eram operados com equipamento totalmente desadequado.

A Iberia nos OPO-MAD também tem ocupações desta ordem. Inclusivamente a Ryanair, nos OPO-LIS/MAD/FAO não tem as ocupações que tem nos voos mais longos.

Comentar por Pete351

Nao sei se 65% da ocupacao e bom ou mau. Posso contar a minha experiancia da passada quarta-feira que regressei de bolonha para o porto com escala em lisboa e o A319 que veio para a invicta tinha pouco mais de 30 passageiros. Isto perto das 18 horas. Abr

Comentar por ALopes

Boas…

Neste caso do acidente é que se viu na realidade a taxa de ocupação do ATR 72… 20 passageiros. Não dá para pagar quase nada….. Prejuízo total. Sei que vão dizer… é sábado á noite…. últimos voos do dia ….. é normal haver menos passageiros (blá, blá. blá)…. etc… etc…… mas o certo é que o prejuízo esta lá, e é desta forma (infelizmente) que realmente se sabe a verdadeira taxa de ocupação.

Comentar por Ricardo Sousa

Li noutro sitio que vão suprimir o primeiro voo da manhã da ponte aérea excepto à segunda. Lá se vão as ligações europeias.

Comentar por Joao

Haviam de suprimir, o primeiro voo da manhã, em toda a semana !. Ou melhor ainda, a TAL deveria suprimir a totalidade dos seus voos, de/para o Porto !.

Comentar por Carlos Sousa

Uiiii, se a TAP abandonasse o AFSC, como é que o pessoal ia de férias para o Nordeste do Brasil? é que só a TAP é que voa para o Brasil fora do Rio e São Paulo… IB e LH é só Rio e São Paulo

Comentar por Luis Abreu

Ricardo, realmente que seja o último voo do dia no sentido Porto-Lisboa e que não tenha ligações absolutamente nenhumas não afeta absolutamente nada a representatividade desse voo. Já os números oficiais que têm sido avançados, esses sim, deduzo pelo teu comentário que não correspondem à realidade.

João, imagino que te estás a referir ao voo das 5h30. Sim, no Inverno só o vão manter às 2ªf e vai sair um bocado mais tarde. Mas também te digo, com a pouca utilização que teve no Verão, é porque também não faz grande falta. Em compensação vão haver mais voos e aviões maiores (E190s e A32S) nas horas mais procuradas, o que me parece perfeitamente lógico.

Comentar por Pete351

Não consigo entender a posição de algumas pessoas relativamente à TAP… Não faço parte do grupo pro TAP nem dos que criticam por tudo e por nada… Agora com uma escada em lisboa entre 1h a 1h30 temos acesso a toda a rede TAP e a preços bem mais competitivos que anteriormente. Há uns anos quando procurava voos muito raramente a TAP era uma das opções, quer pelo preço quer pelo tempo de escala em lisboa… Actualmente que viaja frequentemente já se deve ter apercebido que os preços estão mais baixos que a lufthansa, Iberia… e o tempo em escala é obviamente mais baixo pois temos voos a todas as horas. Para não falar que a TAP se tornou competitiva nas viagens entre Porto e Lisboa, vendem bilhetes desde 25€/trajecto! Pensar que a TAP iria apostar em abrir novas rotas desde o Porto era um cenário demasiado improvável. Felizmente hoje temos muitas opções no Porto, se a melhor opção for a TAP não sei porque haveremos de fazer boicote como já ouvi aqui!

Comentar por Carlos M.

“Pensar que a TAP iria apostar em abrir novas rotas desde o Porto era um cenário demasiado improvável.”

E é esse o teu problema. Enfim, não vale a pena explicar mais nada. Mas continua a pagar para suportar uma empresa nacional centralista, o resto dos portuenses agradecem…

Comentar por Allure

a TAL estaria de bom grado se todos os voos que tivessemos fossem feitos através de Lisboa, claro. Ou não fossem eles querer um novo aeroporto lá o mais rapidamente possivel. Estiveram décadas a deixar o nosso aeroporto a definhar, por eles continuavamos inexistentes. Mas é fixe ver que há pessoal que se contenta com tão pouco. Dão-nos umas migalhas e alguns já aceitam de bom grado… a TAP lucra é às nossas custas, isso sim, tudo em prol da capital do império

Comentar por Allure

Acho que se há tópico unânime aqui, é de que a TAP devia ser 100% privatizada, portanto não vale a pena continuar a atirar esse argumento. Mas é que o vosso problema não é ser pública ou não, porque a Sata também é publica e não vejo ninguém queixar-se que nos querem mandar por Ponta Delgada, ou a exigir um hub da Sata no Porto. O problema também não é eles quererem canalizar o tráfego todo por um aeroporto, porque não faltam pedidos para que a Iberia aumente voos para Madrid (ainda não vi ninguém pedir que eles distribuam a operação por outras cidades…). O vosso problema é Lisboa, porque quando um assunto mete Lisboa, já se sabe, está tudo mal e é tudo em prejuízo do Porto.

Comentar por Pete351

Bem. Assim sendo não é bem como me contaram.
A informação veio de dentro, no caso concreto, um piloto.
Só se for às horas em que ele voa e terá de ser sempre no mesmo horário.

Comentar por Angelo Campos

Mais um exemplo de hoje com voo em horário nobre….

“57 passageiros no TP1926, LIS-OPO, às 07:00. A320
Aterrou às 07:49 mas a primeira mala apenas rolou no tapete às 08:10.”

Nem 50% de ocupação….. de referir que utilizaram um A320

Comentar por Ricardo Sousa

Soube hoje que os aviões da ponte aérea andam normalmente cheios ou com 4 ou 5 lugares vagos.
Soube também que devem vir mais 4 aviões que deduzi serem ATR.

Comentar por Angelo Campos

Não sei se será bem assim…. Deixo aqui indicação do dia 11 com ATR72 com capacidade de 70 pax que viajaram na ponte…

“O voo anterior, no CS-DJC, saiu com mais de 30min de atraso e levava 49 passageiros”

“Relativamente ao meu voo saída da porta às 11h56 com 21 pax”.

Já se fala que poderá haver mudanças nos horários e passar a ser de 2 em 2 horas…. a ver vamos

Comentar por Ricardo Sousa

Outra indicação do dia 11…

“Voei hoje OPO/LIS às 14.30

Não chegava a 20 pax, infelizmente. Espero que melhorem”

Comentar por Ricardo Sousa

Angelo não sei de onde o mercado para isso viria, a TAP mais que duplica a oferta e antigamente nos voos Lisboa Porto os voos não andavam cheios como é que com muito mais oferta haveriam de os encher???
A ponte aérea até não é ma ideia mas acho que exageraram nas frequências, de hora a hora era mais que suficiente ate podiam reforça nas horas de ligação transatlântica. Ate porque para ligação europeia Lisboa já não tem grande coisa a oferecer que não esteja disponível no porto.

Comentar por Nunopinheiro

Sinceramente não percebo o porquê desta micro-cobertura da Ponte Aérea. Estamos a falar de um serviço com características muito particulares, com quase 8.000 voos programados esta temporada e com pouco tempo de vida. O melhor é deixar andar e ver se há alterações em W16 ou em S17.

Comentar por Pete351

Alguem sabe como andam as taxas de ocupação da TAP Express OPO-LIS-OPO ?!.

Comentar por Carlos Sousa

Sim alguém sabe sobre as taxas de ocupação?na outra semana fui num ATR e ia bem composto……………

Comentar por Filipe Ferreira

Um colunista do Correio da Manhã de hoje falava no assunto e criticava o facto dos atrasos que originam a perca de v
voos em Lisboa.

Comentar por Angelo Campos

pelo que se vai percebendo ha grandes variações durante o dia, mas 60% diria eu apenas a partir da amostra de relatos.

Comentar por nunopinheiro

Esse colunista era o autarca de Braga, ou seja, mais um político, com algumas razões e muitas, mas acho q alguns autarcas aproveitam-se da tap para ganhar pontos com o seu eleitorado, e tb cantam da maneira que mais convém, as eleições autárquicas estão a pouco mais de um ano….é por isso que a política é suja…..governo, oposição, autarcas, ele N se importam da tap, com voos, com passageiros, eles querem é mediátismo e isso trás votos no dia D…………………

Comentar por Filipe

Mais outra companhia (competente e profissional…) para preencher a incompetência da TAP…

http://24.sapo.pt/article/lusa-sapo-pt_2016_03_24_1166358622_easyjet-esta-a-avaliar-as-rotas-suspensas-pela-tap-no-aeroporto-do-porto

Comentar por Luis Abreu

Vamos esperar coisas boas daqui!!! Já temos uma boa oferta por parte da easyjet, mas como eternos insatisfeitos estamos sempre à procura de mais e de melhor… Bem haja e longa vida à easyjet.

Comentar por CVP

Supostamente até final de Maio já devem ter a programação de Inverno carregada. Não seria estranho vê-los aproveitar o espaço da TAP.

Comentar por Pete351

Pete,achas possivel a Easyjet crescer 40% este ano?

Comentar por Serv

Eles quando dizem ano referem-se ao ano fiscal inglês, não ao ano civil. Sendo assim é possível, porque não o Inverno não entra nas contas.

Comentar por Pete351

Ou então a Rede de Expressos (com WIFI) ou de caro pela A1… Fora a gazolina a portagem de Grijó à Lisboa fica por cerca de 25€. 😉

Comentar por Flying Nelo

Um link sobre os futuros Embraer 190 da TP Express

http://www.aeroentusiasta.com.br/posts/551

E uma foto do primeiro já com as novas cores.

O Mormon (D. Neeleman) é esperto e consegui recolocar parte da frota Azul….

Comentar por Flying Nelo

Como digo.
Tendo alguém de pagar que sejam os alfacinhas.
Infelizmente com o o poucochinho Costa não será assim.
Do meu, em viagens para a capital do império, não vai levar nenhum.
Se quando imprescindível, não servir a Ryanair, tenho os Alfas

Comentar por luis

Estou 100% contigo Luis. Só se não tiver alternativa.

Comentar por ALopes

E mais um episódio na telenovela da TAP…

https://www.publico.pt/economia/noticia/tap-impedida-de-gastar-mais-de-um-milhao-de-euros-sem-aval-do-regulador-1726119

Comentar por Flying Nelo

E já agora linda foto do ATR

Comentar por Flying Nelo

Obrigado Killer pelo esclarecimento.

Comentar por Flying Nelo

Ao deixar o aeroporto reparei num avião tipo ATR à levantar voo esta manhã. Cerca das 09h. Andam em teste com os futuros ATR da TAP Express ou era um dos actuais da PGA?

Alias até agora nuncá tinha visto os da PGA no Porto.

Comentar por Flying Nelo

São os atr´s da swift air, são voos regulares de carga, todos os dias de manha, de e para madrid.

Comentar por thekiller1314

O verão IATA começa já no fim do mês. Aliás no domingo de Páscoa.
Sobre a ponte aérea e a rapidez no controlo e no embarque, há já alguma organização especifica prevista?

Vi que a loja Relay na zona das chegadas passou para o lado dos balcões Rent a Car.
É para abrir um acesso directo e de controlo naquele sector? (Bem sei que do outro lado fica a zona dos tapetes de bagagem. Parece difícil ser por aí…).

Na configuração actual não me parece que vai ser assim tão fácil.
Suponho que os ATR vão estacionar fora das mangas. Portanto o embarque deverá ser ao nível das portas 5 ou 6 ou 7 no rés do chão ou então passam para o lado oposto do lado do embarque das Low Cost (porta 18 ou algo do género)…

Comentar por Flying Nelo (Salgueirista)

As chegadas devem ficar normais. A única alteração que vejo é que o Fast Track agora passa pelo controlo que estava exclusivo para os trabalhadores, ficando com mais capacidade. Depois o stand deve ser logo um dos primeiros, à frente do controlo de segurança, com o embarque/desembarque a efectuar-se a pé tal como para os easyJet.

Comentar por Pete351

Obrigado Pete.

A zona comercial onde ficava o El Corte Inglês, os jornais, os produtos gastronómicos portugueses está vedada e em obras e estende-se até à porta 32. Se não é para novas lojas se calhar até estão a trabalhar para preparar a zona do embarque. Esta zona fica quase em frente ao controlo Fast.

De certo não vou chegar à utilizar o vaivém tão cedo. Mas aguardo para poder utilizar num dos Embraer 190 que eram da Azul. Parece ser um avião confortável.

Comentar por Flying Nelo (Salgueirista)

Pete, o que dizias e o que dizes esta realmente a suceder, o próprio mercado faz o favor de colmatar e até melhorar as rotas abandonadas, o que eu critico fortemente é a rota Vigo-Lx, e o anúncio de abandono a 2 meses de começar a temporada de S16, não dando tempo para reparar alguns danos causados pelo termino de algumas rotas, mais concretamente Roma e Malpensa.

A título de curiosidade, a Easyjet começa a carregar o W16/17 em Abril, pode ser q tenhamos novidades.

Comentar por zoficial

A que te referes ao ponto de termos novidades com a easy jet ? Que novidades achas k sao e que rotas?

Comentar por tiaguinho10

O anuncio tardio e a participação do estado sim, são criticáveis. Os voos para Vigo, na verdade, vão mais atrás da Iberia, o que não é necessariamente mau para nós, no entanto acho que enquanto empresa pública não deveria voar para lá enquanto eles continuarem com o dumping de taxas selvagem e com os subsídios brutais. Agora a reorganização da operação no Porto até é um favor que nos fazem, a operação antiga não vai deixar saudades.

Comentar por Pete351

Olha que já é o caso actualmente para Estocolmo, Helsínquia, Copenhaga… Pela TP, desde OPO é LIS. Já o fiz.
Portanto nada de novo por aí.
Claro que para BCN isto não tem muita lógica. E as pessoas não vão ir por aí.

Já agora recomendo aos bloggers ver no you tube alguns vídeos sobre os E190 Azul. Parecem mesmo aviões de qualidade e muito confortáveis. Espero que melhoram as operações da TP de um modo geral.

Comentar por Flying Nelo (Salgueirista)

http://www.jn.pt/PaginaInicial/Economia/Interior.aspx?content_id=5065063

Este senhor deve achar que não temos alternativa a Lisboa para voos intercontinentais

Comentar por PedroAlmeida

Acho piada que a tal “ponte aérea” só funciona numa direção. Porque raio tem de ser sempre os do Porto a se deslocarem e não os lisboetas ao Porto? Deveria funcionar nas 2 direções. A mim não me convence, NADINHA. Deveria era tar caladinho, só se enterra mais.

Comentar por Allure

Ele tem razão no que diz, realmente a Ponte Aérea e a reestruturação da rede europeia da TAP traduzem-se em beneficio do Porto, tanto no serviço da TAP como de outras companhias. Se a Iberia anunciasse um serviço exactamente igual para Madrid estavam todos a bater palmas…

Comentar por Pete351

ò Pete, até pode ser que funcione a ponte aerea para voos intercontinentais, mas europeus nao, nao me venhas com essa. eu se ia para munique o voo direto nao chega a 3 horas. e se fizer escalas em lisboa, como ja tive de fazer algumas vezes, eram escalas de mais de 2 horas…. é palhaçada para mim fazer ponte aerea para europa. voo para barcelona 1:30 e ir para lisboa 45mim mais 1 hora minino em transito mais 1.30 voo para bcn. voo direto para BCN 1:30, voo por lisboa fica em +/- 3 horas….

Comentar por Nes

Mas ninguém disse que a Ponte Aérea é para ir para Barcelona, Munique, ou qualquer outro destino europeu servido a partir do Porto. É uma ideia absurda. Se a concorrência não entrasse nas rotas que eles reduzem até podia ser, mas é que por cada lugar que a TAP está a tirar nas rotas europeias a concorrência está a meter 2, 3 ou mais. No imediato, como isto ainda está quente, até são capazes de ter alguns passageiros a fazer escala para ir para Milão ou Barcelona (tal como terão a Iberia, a Lufthansa, etc.), mas isso vai acabar num instante e a tendência será sempre terem menos passageiros do que tem hoje nesses pares. Não se mete uma operação horária para servir ou contando com esses passageiros.

Comentar por Pete351

Tretas Pete. Beneficio era a TAP abrir voos para Viena, Estocolmo, Budapeste, Oslo, etc, a partir do Porto. Não termos de ir a Lisboa apanhar o aviãozinho par aumentar a estatística da Portela.

Comentar por Allure

Goste-se ou não, as novas opções da TAP beneficiam o Porto e aumentam a mobilidade da região. Voos de figura que só servem para empatar mercados abertos fazem pouca falta.

O problema é que como também estamos a falar de Lisboa, a razão sai logo pela janela, se o problema fossem as escalas ninguém aplaudia os novos voos da Iberia, Turkish, Iberia, etc.

Comentar por Pete351

Claro que sim
Faz falta uma ponte aerea para Madrid

Comentar por luis

Sim mais um troféu para as montras do piso das partidas.
😃. Mais um que já cá canta.

Sobre a TP. Fui fazer umas buscas no you tube sobre os Embraer E190 da Azul. Não sei quais são os que eles vão pôr à disposição da TP mas até parecem ser bastante confortáveis e mais silenciosos. Com configuração 2×2. Com uma pequena separação executiva. Pitch de assento bastante grande deixando espaço para as pernas e para a mesinha. Espaço para as pessoas altas circularem sem ter de se vergar. E até sistema individual de entretenimento. Falta saber se a TP os vai conservar e vai propor este serviço a bordo.

Podem ser uma mais valia para a companhia. Faltam 3 semanas até à Páscoa e começar o verão IATA e vamos lá ver se conseguem iniciar a ponte aérea…

Já agora já existe ou andam a rodar alguma organização sobre o processo rápido de embarque prometido para a ponte aérea?

Comentar por Flying Nelo

Viajei nos E190 da Azul agora em Fevereiro e posso dizer que têm muito mais conforto que os A330 e A3340 da TAP! Achei que tinham um serviço acima da média… aviões novos e confortáveis (com muito espaço entre bancos), entretenimento a bordo…

Comentar por Carlos M.

Temos é de promover o que é Europeu e não Brasileiro!.
Daí que prefira a Airbus à Embraer!.
Lamento que a Tap tenha aeronaves brasileiras!.
Enquanto portuense e utilizador do AFSC, recuso-me a voar na TAP!. Voo agora via Madrid ou via Frankfurt e nunca na TAP.
Todos os nortenhos deveriam fazer o mesmo!.
Ligações com a TAP em Lisboa, JAMAIS….

Comentar por Carlos Sousa

Se formos por essas questões a embraer tem uma fábrica em Evora que emprega cerca de 300 pessoas. Que eu saiba a airbus não tem cá nada!

Comentar por Carlos M

Carlos M também a airbus compra ca a salvador Caetano salvo erro, mas tem razão a Embraer tem bons investimentos em Portugal e devemos apoiar, para alem dos E 190 serem belos e confortáveis aviões.

Comentar por Nunopinheiro

Fiquei mesmo impressionado com os E190 da Azul… Nem é comparável com a actual frota da PGA!

Comentar por Carlos M.

Já era tempo da TAP ter Embraers! Uma companhia que se gaba de ser a maior entre a Europa e o Brasil, que se gaba de fazer várias pontes lusófonas e não tinha um único aparelho da 3.ª construtora de aviões no mundo! A Embraer é um motivo de orgulho para todo o mundo lusófono e não apenas para o Brasil, e além disso tem investido muito em Portugal – ao contrário da Airbus. Sempre gostei de voar nos Embraers da Luxair, finalmente a TAP junta-se à longa lista de clientes. Esta foi a melhor notícia desde a privatização.

Comentar por miguelito

Miguelito então os já velhinhos E145 da Portugalia, agora TAP express??

Sobre a Airbus não investir cá. http://www.jornaldenegocios.pt/empresas/detalhe/airbus_vai_investir_600_milhoes_em_portugal_ate_2018.html

Comentar por nunopinheiro

Tens razão, mas eram Portugália, não eram TAP.. enfim, uma confusão😛

Comentar por miguelito

é de saudar e de nos orgulhar…

http://economico.sapo.pt/noticias/aeroporto-do-porto-e-o-3-melhor-da-europa_244022.html

Se a TAP se for, talvez possamos ser o 1°…

Comentar por Luis Abreu

Mais uma acha para a fogueira amanha na assembleia municipal do Porto segundo o Económico online….

http://economico.sapo.pt/noticias/assembleia-municipal-do-porto-debate-mocao-contra-a-tap_243818.html

Comentar por Ricardo Sousa

Uma questão, o Porto não vai receber a tão falada nova frota da tap express? É q hoje voei no fokker para a madeira no voo da manhã, e na saída brinquei com a hospedeira e disse para aproveitar q seria as últimas viagens q ela iria fazer neste velhinho avião……e ela respondeu q este iria a continuar a fazer a rota da madeira……. Ou seja os avioes antigos ficam nas rotas do Porto? O bom, ou seja, o novo é só para lisboa?

Comentar por Filipe Ferreira

Filipe
Tens boa solução. Transavia e a breve prazo Easy Jet.
Naturalmente que o melhor tem, obrigatoriamente ser para LX.
No entanto vais ver alguns, mas só na dita ponte aérea cujo uso naturalmente deve ser evitado.
Quanto a serem novos não é bem assim.
Que eu saiba são, pelo menos alguns, aviões que estavam parados na AZUR. Eles fazer o FAVOR de os ceder aos portugas. Aliás a boa vontade é tanta que até são pintados no Brasil. não vão os portugas, de LX, sujar a mãos.

Comentar por luis

Os E190 vão ser introduzidos gradualmente. No caso do Porto as primeiras rotas a aparecer com eles são Amesterdão, Genebra e Londres Gatwick, em Julho. Funchal parece-me que será a última rota a receber, mas esse voo é operado por um avião que dorme na Madeira, os que dormem no Porto serão substituídos antes.

Comentar por Pete351

Pois, mMas vamos a ver se a ponte aérea não é um sucesso e além disso não virá a justificar um aumento.

Comentar por Angelo Campos

E se for, melhor. Permitiria consolidar um serviço de grande qualidade entre o Porto e Lisboa e aumentar o volume de passageiros indirectos, que mais tarde ajudarão a abrir mais voos directos.

Comentar por Pete351

Achas mesmo? Fia-te na virgem

Comentar por Allure

Não acho, tenho a certeza, é assim que funciona em todo o lado. Vais reparar que, excluindo hubs, os aeroportos com maior número de voos intercontinentais são aqueles onde há mais opções para voar de forma indirecta.

Comentar por Pete351

Certo Pete.
Percebo e tens razão,
É evidente que ao aumento de voos indiretos corresponde mais tarde ou mais cedo linhas diretas.
No entanto no nosso caso se isso ocorrer via Lx estamos a perder os indiretos a sul do Douro.que são contabilizados como voos LX. Quem vai apanhar a dita ponte aérea para depois seguir para Coimbra Viseu ETC….
Como tens referido os indiretos para USA tem aumentado. O que aconteceu,… aumentos em Lx e redução no AFSC (ninguém fala mas as 3ªs ligações (no verão) de NI , Rio e S- Paulo para onde foram
Assim entendo que fazem falta é os indiretos via HUB´s decentes ou seja Madrid, Paris, Frankfurt, Istambul Londres ETC.
Até para Maputo as opções são Luanda ou Istambul
Estou certo que a gestão do AFSC está a procurar ter a Ibéria e/ou AirEuropa em nignt stop. Particularmente o voo da Ibéria da 8h não só é um pouco tarde como são recorrentes atrasos.

Comentar por luis

Lá está, é aquilo que eu digo, fia-te na virgem. Aqui em Portugal essa política dos voos indiretos não resulta. Só serve para melhorar os voos a partir da capital do império

Comentar por Allure

A Iberia, deveria aumentar a capacidade dos seus aviões no Porto!.

Comentar por Carlos Sousa

É para que a Ibéria, e Air Europa digo eu, aumentem as frequências devemos utilizar os seus aviões. Se a procura aumenta a oferta TB.
Como digo, na ausência de voos diretos prefiro aterrar no AFSC proveniente de Madrid, Paris, Londres, Geneva, agora Miunique etc e jamais da Portela.
Já devíamos ter aprendido. Criar necessidades em Lx para justificar despender lá todos os recursos. Como nunca chega, nada sobra para a provincia

Comentar por luis

Concordo em absoluto Luis!. Para Madrid viajo sempre, ou na Iberia, ou na Air Europa ou na Ryanair!. Nunca na TAP (com os Embraer da Portugalia a desfazerem-se!.).

Comentar por Carlos Sousa

O problema dos passageiros de Aveiro/Coimbra/Viseu/etc. é que hoje em dia eles já voam por Lisboa, a ponte aérea não os vai atrair, mas também não os vai afastar porque já não usam esses serviços nem os intercontinentais directos do Porto. E sendo realistas, no longo curso será muito difícil contrariar essa tendência pelo simples facto de que Lisboa tenderá a ter mais oferta. Podemos reduzir esse espaço melhorando a competitividade do AFSC, mas elimina-lo é impossível. Por sorte podemos compensar porque vamos buscar outros passageiros à Galiza, que é onde temos mais margem de manobra por sermos maiores e porque a tendência a médio prazo lá é para estabilizar ou decrescer.

Sobre a Iberia, eles têm estado a crescer e no próximo verão o 4º diário que liga aos intercontinentais noturnos será uma realidade quase todos os dias. A partir daí podem crescer ou introduzindo um 5º diário que faça night stop no Porto, ou trocando os Bombardier por Airbus, ou então uma mistura das 2. No caso da Air Europa é diferente, os horários actuais já permitem ligações ideais à rede de longo curso (a rede europeia deles não justifica voos a partir do Porto), a melhorar o ideal seria introduzir um avião maior e reduzir o tempo que passa no chão.

Comentar por Pete351

Pete.
Terás razão pois julgo que tens mais informação que eu.
No entanto permito-me estranhar que os residentes em Coimbra/ Aveiro/ Viseu/ ETC para se deslocarem a qualquer ponto da Alemanha/ França/ Suiça/ UK/ETC prefiram LX. Aliás para Alemanha e França pelo menos,o AFSC tem muito mais oferta. Temos destinos que não existem na capital do império.
Por isso entendo que o AFSC deve oferecer soluções tipo ponte aérea para Madrid, Paris, Londres ETC que sejam mais vantajosas como o já o são para nós. Temos de compensar os 60 a 90 minutos que despendem em chegar a Pedras Rubras….

Comentar por luis

Pete sobre o suposto estabilização ou decréscimo de passageiros na Galiza…

Segundo um comentador do blog de Vigo,em 2014 a importância dos galegos no Porto era de 12%, em 2015 esse número passou para 10%. O que quer dizer que perdemos 23 mil passageiros galegos num ano.
Eu diria que quem está a perder terreno na Galiza somos nós e agora com estes subsidios enormes as companhias aéreas,não duvido nada que venhamos a perder mais. Só Vigo no ano passado e sem a Ryanair ganhou 33 mil novos passageiros,não é dificil perceber que os 23 mil que o Porto perdeu,foram para lá.
Eventualmente os galegos irão representar cada vez menos passageiros no Porto,ainda para mais agora com a Ryanair em Vigo. Vamos é esperar que os turistas continuem a vir ao Porto em massa.

Comentar por Serv

Luis, a nível de voos europeus a situação está controlada porque temos os destinos básicos com uma oferta competitiva, algumas vezes até mais competitiva que a da Portela, mas estava a falar dos intercontinentais. Nesse caso já é mais difícil, com mais voos para Frankfurt ou Londres não vamos lá porque o tarifário nunca será igual ao praticado em Lisboa, e em tempo de viagem perderemos sempre para os directos.

Serv, o problema desses comentários é que são escritos maioritariamente por pessoas que vivem num mundo que não é o real, principalmente no que toca ao Porto. Eu tenho lido alguns e excluindo o nº de passageiros anuais, todos os outros dados que são lá apresentados sobre o AFSC são falsos. Alguns até são divertidos, mas são falsos à mesma. Que o AFSC tenha perdido 23.000 passageiros galegos em 2015 é falso, ponto. Quando publicar o relatório de inicio de temporada S16 a questão da Galiza vem lá abordada, se o problema te interessa vais ficar muito mais esclarecido e tranquilo.

Comentar por Pete351

Bom Dia

Pete mas é complicado atrair uma companhia area americana para realizar voos por exemplo do Porto para os EUA. Se a Tap deixar os voos intercontinentais do por esse vazio poder ser usado por outras tal como aconteceu para destinos europeus. Eu vou praticamente todas as semanas para lisboa na ryanair e por vezes vejo um aviao da United Airlines com destino a NY. Mas entre Lisboa e Madrid seguramente faz muito sentido ir a Madrid por tens muitas mais opcoes que Lisboa.

Abr

Comentar por ALopes

ALopes acho que onde a TAP é competitiva é no mercado Brasil, é aí que realmente é bastante melhor para o cliente Norte, CentroNorte de Portugal. De resto já é discutível. Madrid é boa opção para muito lugar.

Comentar por nunopinheiro

ALopes, estás a pensar o problema passageiro-a-passageiro como se fossem todos iguais, se viajassem nos mesmos dias e tivessem as mesmas necessidades, só que não são. E ao existirem mil e um factores a considerar, algumas vezes a melhor proposta será com a Iberia por Madrid, outras com TAP por Lisboa, outras com a Turkish por Istambul, e por aí fora. O importante é que haja o máximo de opções possível para permitir tempos de viagem e preços o mais competitivos possível.

Comentar por Pete351

Nuno
Conforme referi na passada terça atiualmente a melhor opção para o RIO é Madrid. Serviço e preço. Dez a Zero à TAL

Comentar por luis

Gostei do artigo de opinião, do Sr. Reitor da Universidade do Porto,. hoje publicado no JN.
Termina mais ou menos assim:
É legitima uma ação responsável… legitimada pelo direito e pela razão.

Aliás, TB, a vice reitora da Universidade de Coimbra, no mesmo órgão de comunicação, escreveu há alguns dias.

O AFSC é o meu aeroporto natural….. Tem bons acessos e está a uma hora de viagem….

Comentar por luis

Julgo ser este o artigo em causa: http://www.jn.pt/opiniao/default.aspx?content_id=5042860

Comentar por Pete351

Sim Pete, o artigo é este.
Ele como eu e outros está indignado.
Quantas ligações diretas temos para a Alemanha?
Da TAL ZERO… das outras ultrapassa a dezena.
Quantas ligações temos a França?
Da TAL uma. Das outras ultrapassa, largamente, a dezena.
Quantas ligações temos ao UK?
Da TAL uma. Das outras ultrapassa a meia dúzia.
Quantas ligações teremos a Espanha?
Da TAL uma ( a partir de 27 de Março). Das outras salvo erro cinco.
Holanda, Bélgica, etc é mais do mesmo.
Única excepção em que a oferta disponível sob do nível de miserável/execrável para muito mau. Suiça pois
dos três destinos atuais a TAL está presente em dois (devem estar destraidos).
Nos que estão presentes temos
Geneva A concorrência oferece no mínimo 34 ligações semanais. A TAL, muito generosamente oferece………..
Zurique. a TAL oferece uma dia. Os “OUTROS” oferecem mais de nove. A Vueling está a entrar para aumentar este nº
Basileia. A TAL. Os provincianos que venham ao beija mão a Lx. Solução Easy jet com oferta mais do que relevante.
Peço desculpa da terminologia utilizada mas não gosto de ser gozado. Terei mau feitio…..
Gostaria que os tais Pintos, Pedro Marques, Davides ETC me explicassem q razão de a TAL perder dinheiro no AFSC e a LUFTHANSA, A BRUSSELS, a SUISS, a BA, a TURKISH, a CSA aumentem a presença.
Estarão no nível inferior às LC´s???
Eles serem imbecis e destituídos poderá ser uma razão

Muito agradecia que quem entender o explique, como se eu fosse (serei) burrinho….

Comentar por luis

Luis eu acredito piamente que a TAP perda dinheiro nas rotas operadas, da mesma forma que perde em muitas rotas em Lisboa.

Para mim o problema é simples, se for publica perguntamos qual o critério para fechar umas e não outras, o que é “serviço publico” e o que é “interesse estratégico” se for privada, faz o que entenda e votamos com a carteira (o chamado boicote, com os custos de mercado que isso tem).
O que temos agora é uma palhaçada e não tenho outro nome para a coisa, é privada assim assim, publica faz de conta. E com base nesse argumentário, não podemos dizer nada, ora meus amigos vão me desculpar mas isso é uma vergonha, não poder votar com a carteira porque é uma empresa de todos nos e não poder reclamar porque é privada por favor……

Comentar por nunopinheiro

A realidade é que, para além da criação de meia dúzia de postos de trabalho para os boys do PS, ainda ninguém explicou para que é que serviram os 50% do Estado… mas acho que estamos todos curiosos para saber.

Comentar por Pete351

Como não alimento boys, sejam do PS ou quaisquer outros ( e ai sejam de LX ou da província) quero que vão gozar outros.
A solução é distância desse tipo de gente.
PS. Gostei da alternertiva a TAL para Transportes Aereos da Portela

Comentar por luis

Peter a TAP e o presidente de Vigo alegam que a Ryanair recebe apoios do aeroporto, é verdade? E a TAP n recebe pq? A TAP n deveria receber uma vez que era do estado? E futuramente n poderá receber e com isso abrir novas rotas no aeroporto do Porto?

Comentar por Filipe Ferreira

Nem a TAP, e muito menos Vigo tem razões de queixa. A ANA tem efectivamente um programa de apoios, mas ele está aberto a todas companhias incluindo a TAP (a Ponte Aérea vai beneficiar disso). Agora, esse é um programa para estimular tráfego, portanto uma companhia que não cresce não beneficia. Se a Ryanair fosse realmente subsidiada eles já há muito tinham apresentado queixa na UE.

Quanto ao Alcalde de Vigo, é um tipo sem credibilidade. Ele inventou que o Porto subsidia as companhias para justificar subsídios ao próprio aeroporto de Vigo apesar de já estar subsidiado pela AENA através de taxas artificialmente baixas. Isto é meio difícil de explicar, mas com um gráfico vê-se bem quem é que subsidia e quem não o faz: Link

Comentar por Pete351

Sobre os apoios em Vigo não sei precisar, mas sempre que te vierem com essa conversa do apoios a Ryanair e não a TAP, diz que estarias completamente de acordo se esses apoios estivessem vedados a TAP, como não estão e é a tap que não vai a eles, olha perdem uma oportunidade de estar calados.

É uma treta repetida muitas vezes… por uma data de pessoas que só podem ter interesses próprios e pouco intelectualmente honestos.

Comentar por nunopinheiro

Bem esclarecido Pete.
Infelizmente ainda não localizei o artigo em que refere todos os apoios para o divulgar.
Mas como também refere os apoios à capital do império, pese não acreditar nas teorias da conspiração, ainda não o encontrei…..

Comentar por luis

Sobre o tema dos subsídios, recomendo ouvir o discurso do Rui Moreira hoje na Assembleia Municipal (minutos 8:14 a 9:54): https://www.youtube.com/watch?v=bq7xYwV2Pcc

Mais claro, impossível. Bem sabemos que em Lisboa e na Galiza incomoda que o AFSC se esteja a desenvolver de forma estrutural, sem recurso a subsídios, mas é a realidade. No caso da Galiza até é bom que continuem a pensar assim, quando se aperceberem da realidade o AFSC já controlará o mercado da fronteira até à Corunha.

Comentar por Pete351

Sobre os subsídios de Vigo á Ryanair li em qualquer sitio que o voo a ser operado para Inglaterra ia ter um subsidio de 75% no combustível por parte dos governantes da Galiza. Será possível?

Comentar por Ricardo Sousa

É verdade, o que eles pagam à Ryanair dá para para pagar quase a totalidade da conta de combustível das 4 rotas internacionais. Agora pensa que na escala deles foi um “bom negócio”.

Comentar por Pete351

Não sei se tem a ver uma coisa com a outra. Com todo esse burburinho sobre as rotas discontinuadas da TP desde o Porto. Ou simplesmente a TP sentir os “ventos virar” sobre a sua operação no Porto.
Mas raramente vi o vôo TP para ORY, das 16h, num domingo à tarde com tantos lugares de vago.
Bem sei que só vamos em fevereiro mas habitualmente costuma ir lotado….

Comentar por Flying Nelo

É provável que estejam a notar alguma coisa no tráfego de portugueses, principalmente nas rotas em que a concorrência oferece boas alternativas como Paris. Ainda assim é um fenómeno difícil de contabilizar.

Comentar por Pete351

Só espero que seja verdade………………..
PS. Repararam na forma cândida como o Sr. David anunciou que a rota do AFSC para Nova Iorque ia manter as duas operações semanais.
Pete li mal ou a mesma está underserved?
Claro que convém bloquear o crescimento até porque provavelmente um dos voos dos nortenhos , por falta de alternativas, tem de ser via Lx.

Comentar por luis

Como já foi dito, toda a gente do Norte do País deveria boicotar a futura ponte aérea Opo-Lis-Opo. Mesmo quem precise de ir trabalhar para Lisboa, que utilizr a Ryanair!. Para voos com escala, que se utilize os Hubs de Madrid, Londres, Paris, Frankfurt, todos servidos por outras companhias áreas, sem ser da Tap!.

Comentar por Carlos Sousa

Luis, ter essas rotas com sub-oferta faz parte da estratégia deles. Felizmente a procura por destinos como a América do Norte tem estado a aumentar e a atingir uma dimensão que permite pensar em ultrapassar esse bloqueio a prazo, portanto não é coisa que me preocupe.

Comentar por Pete351

Acabo de chegar ao AFSC e estou a desfrutar uma bebida No Delta Café Central à espera que a minha famíliazinha me venha buscar.

Obrigado Pete e Nuno pelos eslarecimentos.
Até calha lhes bem ter renegociado parte da privatização. E tudo isto com dinheiro público.

Em tom irónico : até era engraçado o Anac chumbar aquilo

Um bom fim de semana à todos.

Comentar por Flying Nelo


Honestamente não sei se é boa ideá, a SATA companhia pela qual tenho muita simpatia, não me parece ser muito bem gerida, parece-me uma TAP em miniatura, se for para terem uma operação lucrativa e escalável no porto venham, agora se vierem para perder ainda mais dinheiro é melhor repensarem que companhia são e qual o seu objectivo no âmbito dos açores simplificarem o seu negocio e conseguirem algum equilíbrio.

Comentar por nunopinheiro

Não, por favor, não. Já tiveram essa oportunidade e fracassaram de forma muito clara. A Sata precisa é de ter a casa em ordem, ser gerida como deve ser e ter uma operação decente nos Açores. Até lá não os consideraria como alternativa.

Comentar por Pete351

Concordo totalmente com o Pete.
Só espero que a intervenção do Dr. Rui Moreira não tenha como consequência receber migalhas e terem como resultado a inibição do crescimento das companhias que nos interessam,
Por ex a TAM voa para Madrid em voos diretos do RIO de Janeiro. com tarifas interessantes

Comentar por luis

Antes a TAM voasse a do Rio de Janeiro para a Europa, infelizmente concentraram tudo em São Paulo. Tem é codeshare com a Iberia.

Comentar por Pete351

Porque que a TAM não voa para Portugal?

Comentar por thekiller1314

Qual será o impacto da decisão da ANAC, enquanto Regulador, de impedir a TAP de tomar decisões estratégicas no funcionamento da empresa e, em particular, no que diz respeito à supressão das rotas a partir do Porto?

Comentar por PedroAlmeida

Pelo que entendi o que a ANAC tem fortes suspeitas que a Atlantic Gatweay não é uma empresa maioritariamente controlada por um cidadão comunitário, e portanto mandou congelar todas as decisões que impactem a operação da empresa.

No entanto eles também dizem que a avaliação não tem em conta o último acordo entre o Governo e a Atlantic Gateway, em que o Estado teria já 50% do capital. Assim esteja a reversão feita, acredito que não haverão mais objecções por parte da ANAC ao negócio e será business as usual.

Comentar por Pete351

A decisão que a primeira vista ate dá muito jeito a retorica corrente, não será pior? acho que ninguém tem duvidas que os 50% faz de conta que são 18%, seriam para devolver num futuro qq ao consorcio faz de conta que é maioritariamente português?
Mas que agora vão ter de ser verdadeiros 50% para ser vendidos as outros? Isto só não vai pelo cano porque o Neelman não tem que fazer aos aviões a mais da azul IMO.

Comentar por nunopinheiro

Melhor não vai ser. Se a ANAC finalmente der luz verde só se andou a perder tempo, e se chumbar o negócio os contribuintes voltarão a ser chamados a pagar.

Comentar por Pete351

GENTES DO PORTO E NORTE DE PORTUGAL: Como retaliação ao que a TAP fez ao AFSC (retirando-nos 4 voos Europeus), vamos todos boicotar a ponte aerea Porto-Lisboa-Porto!.
Quem precisar de ir a Liboa de avião, terá sempre a possibilidade de viajar pela Ryanair, que tem 3 voos diários. TAP JAMAIS !!!.

Comentar por Carlos Sousa

Não tenhas duvidas Carlos. Eu vou praticamente todas as semanas a Lisboa em trabalho e só viajo na Ryanair. Não te digo que gostava de viajar na TAP mas não merecem o respeito do Norte.

Abr

Comentar por ALopes

Já não bastava a CM Porto, agora também se junta a DECO nos protestos da supressao (?) de voos a partir do AFSC!

http://www.sapo.pt/noticias/deco-considera-bastante-preocupante-supressao_56bd881818f826e91c0dbdcb

Comentar por Luis Abreu

A Administração da TAP reúne segunda-feira com os autarcas do Norte.

Comentar por Angelo Campos

Sinceramente, e cada vez mais, e pedindo desculpa pela linguagem, quero é que a TAP se f…

Comentar por João Ferreira

Concordo consigo João!.
Só é pena que, enquanto contribuinte e utilizadora do AFSC, utilizem o dinheiro dos meus impostos, para subsidiarem a nossa companhia de bandeira, desprezando o aeroporto da minha cidade!.

Comentar por Filomena Pastor

Boa tarde. Sinceramente acho que estamos a dar demasiada importância á TAP. Na verdade a TAP sempre deu pouca importância ao AFSC. Concordo com a estimada Filomena porque infelizmente também o meu dinheiro uma vez mais vai/foi e provavelmente vai continuar a ser mal gasto neste processo que apenas previligia uma zona do país. Penso que nos devemos focar naquilo que é essencial para o nosso AFSC que é trazer novas companhias para preencher o vazio deixado pela TAP e principalmente pessoas do norte que possam influenciar neste processo. A prova disso segundo o Peter é provavelmente a KLM venha ao Porto. Porque não trazer uma United Arlines, ou uma Continental Airlines para assegurar viagens entre o Porto e os EUA? Porque não uma Austrian Airlines para um Porto / Viena? ou um incremento das que já usam o nosso aeroporto e passem a viajar para outros destinos europeus? Uso praticamente o AFSC todos os meses e a minha forma de luta é que se tiver de viajar para um local que não consiga via Porto, tentarei usar sempre um HUB que não seja Lisboa e seguramente conseguirei.

Força : AFSC

ABR

Comentar por Alopes

Parece me agora, com a semi-reversão da privatização da TAP (50%/50%), há agora que pedir responsabilidades ao governo, pela supressão das rotas europeias retiradas do AFSC, que tinham excelentes taxas de ocupação!!!. Parece-me que a questão do “serviço público”, está aqui claramente posta em causa!

Comentar por carlos sousa

Incrível, não só conseguiram meter já dinheiro nosso lá como ainda se comprometeram a meter mais no futuro. Estou curioso para saber como pensam compensar o Norte por essa circunstancia, mas como de costume, imagino que vamos ficar a falar sozinhos.

Sobre o “serviço público”, como tem sido colocado, acho ridículo e não percebo como os nossos interlocutores o podem defender quando atenta os nossos interesses. Serviço público para o Porto era a TAP deixar de ocupar espaço, como deixou de ocupar na Madeira. Que comecem pelas rotas de Madrid e Amesterdão já no próximo Inverno, ficávamos todos agradecidos.

Comentar por Pete351

se a ocupação média anual é de cerca 90%, ou seja não parece nada dificil substituir por outras comapnhais, mas a minha pergunta é a seguinte, se o aeroporto de lisboa chegar a um certo limite, parte-se para a construção de um novo aeroporto, se a Vinci tb é interessada nesse negócio, qual será a real vontade da mesma de colmatar essas saídas ou alimentar Lx tipo “pato fois-gras” e só depois de isso suceder tratarem do Porto?? Hávera conflito de interesses? ou tudo não passa de imaginação minha..

http://www.porto.pt/noticias/a-verdade-sobre-os-voos-da-tap

Comentar por zoficial

Aparentemente o NAL já não vai ser feito pelo menos na próximos anos/décadas, com a abertura do montijo Lisboa fica amplamente servida e pode acomodar um crescimento elevado.
O NAL pode vir a fazer sentido se? o trafego aéreo crescer muito mas mesmo muito. Acho que os sonhos de um grande HUB da TAP já foram pelo ….. A crise do mercado angolano e Brasileiro veio relembrar que é complicado tentar colocar uma estrategia de crescimento com todos os ovos no mesmo cesto.

Por outro lado o NAL provedoralmente seria menos apetecível para as LCC, para o trafego ponto a ponto na minha opinião a Portela é muito boa. Mesmo o Montijo será provavelmente melhor. (de cacilheiro diretos ate a baixa)

Comentar por nunopinheiro

Conheço a teoria da conspiração, o problema é que tem um problema fundamental: nesse cenário a Vinci perderia muito dinheiro. Outra coisa é que a Vinci e os aeroportos de BRU/BCN/MXP/FCO (não esquecer que eles também tem interesse e também se mexem!) não consigam fazer o impossível, mas aí não há nada a fazer.

Sobre os resultados das rotas, é o que temos discutido, cancelam-se porque a TAP não tem interesse opera-las. Por isso sempre digo que sobre isso não estou minimamente preocupado, o mercado é livre e extremamente competitivo, se a TAP se abstém de participar não faltarão companhias interessadas em ocupar os lugares vagos. Preocupa-me, isso sim, que se queira reverter a privatização.

Comentar por Pete351

Dsp peter, as muitos comentadores e até aqui no blogger dezembro que os 53 novos airbus não são para aumentar a atual frota e sim serão para substituir, por isso os novos A321 LR cria umas duvidas, o que achas? Isso tipo de comentários serão daqueles que estão contra a privatização?Então daqui a 3 a 4 anos a tap terá mais rotas ou frequências porque terá ao seu dispor mais de 80 aviões Airbus? E si nós no porto teremos algumas novas rotas intercontinentais?

Comentar por Filipe Ferreira

Sobre a frota da TAP, tens este slide da própria empresa sobre a evolução esperada:

Até prova em contrário, o crescimento da TAP será todo na Portela. No Porto, se queremos crescer, só com operadores estrangeiros.

Comentar por Pete351

A tap vai comprar avioes airbus neo ou ceo? E qual é a diferença? Os A321 Lr da tap irão substituir q avioes da velha frota? Os A320 ou A330? Que rotas eles poderão utilizar, pois ainda são um número considerado na encomenda……….

Comentar por Filipe Ferreira

São todos NEO, ou seja, com motores mais modernos que os CEO. Os LR são para crescimento, não substituem nenhum e aparentemente vão voar para a América do Norte e Nordeste do Brasil.

Comentar por Pete351

Obrigado Pete pelos esclarecimentos.
Hoje no JN/DINHEIRO VIVO há uns artigos sobre a TAP e que dá algumas informações sobre as transformações das aeronaves que estão programadas durante os próximos tempos.
Entre outros assuntos.

Comentar por Salgueirista

Não consegui ter acesso ao artigo e deves ter razão, não deve ser nemhum “scoop” porque tb teria sido noticia nos outros médias.

Curiosidade em que tenho reparado ultimamente nos Airbus da TAP. Pelo menos nos A319. Os mini ecrãs não estão em funcionamento. Se não desapareceram simplesmente. Porque os da primeira fila já não estão colocados na parede.
As instruções de segurança estão à ser feitas pelos cabin crew.
Tirando a utilidade de poder seguir o percurso do vôo e as bonitas apresentações sobre o turismo de Portugal e claro o filme de instruções de segurança, não achava este sistema prático porque é impossível colocar uns fones no assento (tipo o que é possível fazer nos B737 da Transavia) para ouvir qualquer coisa.
Haverá algum motivo económico para isso?
Menos querosene gasto em vôo?
Futura renovação das cabines?
Certo é que alguns A320 vão ser equipados com Winglests. O que deverá melhorar os resultados operacionais.

Comentar por Salgueirista

Há uns tempos li que era intenção deles retirar os ecrãs dos A32S. A confirmar-se parece-me muito positivo, aqueles ecrãs não melhoram significativamente a experiência do passageiro e aumentam desnecessariamente os custos operacionais da TAP.

As cabines também serão finalmente renovadas e densificadas, pelo que percebi vão meter uns bancos parecidos aos que a Lufthansa/Swiss/Austrian/Eurowings usam.

Comentar por Pete351

No jornal Vida Económica tb há um artigo sobre a TAP intitulado “TAP com sinais contraditórios sobre o Porto.”.
Se calhar um artigo quase idêntico ao divulgado por Luís Abreu.
Viajo amanhã com a TAP e infelizmente o upload no quiosque da TAP apenas permite ver a primeira página…
E o artigo online é só para os assinantes…
Se alguém conseguir ver o artigo…

Comentar por Salgueirista

Não sei se chegaste a ler o artigo, mas pelo que vi da capa, deve ser uma recompilação de noticias já conhecidas a partir da qual o jornalista tira uma conclusão. Nada de novo.

Comentar por Pete351

Ainda a proposótio da TAP e do AFSC: parece-me uma entrevista ‘diplomática’ como que a acalmar um pouco as hostes…

http://economico.sapo.pt/noticias/o-aeroporto-do-porto-gera-226-milhoes-de-euros_237151.html

Que conclusões se podem tirar?

Comentar por Luis Abreu

As conclusões que já tiramos a muito, A TAP só tem a perder com uma saída do porto, AKA não é aqui que perde dinheiro.
Se sair outras vão entrar. Porque as companhias gostam de ganhar dinheiro e longo/médio curso lucrativo não há assim tanto por aí.
A questão de fundo é qual o modelo que TAP pretende seguir… Ter um grande HUB Europeu de e para o Atlantico Sul…. Focando toda a sua frota de media longo curso no aeroporto de Lisboa. (modelo semelhante as grandes companhias deste mundo, que a TAP não é) ou aposta no Ponto a Ponto que parece ganhar cada vez mais força a nível mundial…
Companhias como a TAP têm problemas grandes de escala IMO e para ser honesto não sei o que será melhor para a TAP.
Já o nosso AFSC tem mostrado força no ponto a ponto e é por isso apetecível particularmente para as novas empresas tipo LCC que apostam em ponto a ponto e não em grandes HUB’s de redistribuição de trafego. É só olhar para as vendas de aviões para notar a tendencia para aviões MOM o A321 neo/neoLR é um campeão de vendas e espera-se que venha a ultrapassar o A320 neo já se fala num A320plus/A322.

Comentar por nunopinheiro

Obviamente que ele não vai discutir opções internas para a praça pública. Não tiro nenhuma conclusão.

Nuno, a operação no Porto não é incompatível com o fortalecimento do hub de Lisboa (um grande hub europeu muito dificilmente será). Trata-se simplesmente de saber se a TAP conseguirá ter uma base de custos que lhe permita ser competitiva no ponto-a-ponto, seguindo os bons exemplos da Aer Lingus e da Aegean, e quais as opções estratégias a partir desse ponto. Poucas companhias se retiraram para apenas 1 aeroporto por vontade própria, fizeram-no porque não eram competitivas fora da bolha do hub.

Comentar por Pete351

http://www.sapo.pt/noticias/tap-admite-parceria-com-ryanair-no-futuro-e_56619fc02ffcd81f30c0c1ba

Têem muito respeito pelo Porto, aquele que faz escala em Lisboa. Basicamente é isto.

Comentar por Allure

Entretanto, segundo Fernando Pinto, o volume de vendas da TAP no Porto é de 226 milhões de euros, cerca de 10% da receita total da companhia. Brincando um bocado com o valor e fazendo umas contas de merceeiro, teríamos uma média diária de 600.000€ vendidos de/para o Porto e uma tarifa média por passageiro/sentido de 130€, nada desprezável.

http://www.publituris.pt/2015/12/04/tap-nao-confirma-que-sai-do-porto/

Como sempre digo, estejamos tranquilos. Aqui a TAP não opera rotas de favores ou faz opções estratégicas de (muito) duvidosa rentabilidade como na capital.

Comentar por Pete351

E isto tudo, notícia no dia dos 70 anos do aeroporto.

Comentar por Salgueirista

Fiquei muito surpreendido pela notícia que vi em rodapé na Sic Noticias quando cheguei à casa. E vim logo ver ao blogue se esta noticia já estava comentada. Já vi todos os vossos comentários.
Vamos lá ver se isto será verdade ou não. Duvido que abandone todas as rotas. Porque os vôos para o Rio ou São Paulo devem ter boas taxas de ocupação. E EWR também.
Á ser verdade isto tb poderá reflectir se na operação da TAP desde OPO.
Viajei muitas vezes de ORY para OPO no primeiro vôo da manhã e esse vôo era preenchido por muitos passageiros em trânsito via OPO para EWR à segunda e quinta feira. E para o Brasil ou Caracas em outros dias. Com esta estratégia da TAP certos vôos para o Europa poderão desaparecer ou frequências reduzidas desde o Porto.
À volta de Rui Moreira andam muitos socialistas e isso poderá ter à ver com a.propaganda da esquerda unida à volta da privatização da TAP… Não sei…
Acho pelo contrário que seria um erro para a TAP abandonar o longo curso desde o Porto.
Por já ter praticado uma vez e não tive uma boa experiência fiz EWR/LIS/OPO (já não havia lugar directo para OPO) e foi uma experiência complicada. Malas perdidas em LX durante a transferência (e o vôo de LIS/OPO tinha partido com uma hora de atraso devido à problemas tecnicos)…
Igal em outra experiência de Estocolmo/Lisboa/Porto… Aí não tive muita escolha não havia vôo directo… Tb malas à viajar em LX…. O hub da Portela de Sacavém nesse aspecto não está muito bem.
Quando possível gosto de viajar com a TAP. De Opo para Ory hà várias frequências (e para outros destinos europeus tb. Genebra. Londres. Bruxelas.) com horários adaptados.
Tb vivo fora de Portugal como já perceberam.
Estive sempre à favor da.privatização da TAP, porque o contribuinte não pode compensar o buraco financeiro da empresa.
À ser verdade irá aparecer concorrência à tapar o vazio e com isso a TAP não vai ter nada à ganhar…
Tb vui-se notícias sobre negociações entre FR e TP para code share em vôos de longo curso. Imagino mal esse tipo de parceria com voos FR para Alcochete e depois atravessar a Ponte Vasco Gama para apnhar um longo curso desde a.Portela…. Mesmo muito prático…
A FR tendo uma base importante no AFSC esta parceria de longo curso da TAP faz sentido desde o Porto….
Vamos lá ver como isto vai ficar nos próximos tempos…

Comentar por Salgueirista

Uma retirada do Porto teria sempre motivos estratégicos. Sejamos honestos, se o que queriam era cortar rotas “fracas”, em Lisboa tinham muito por onde trabalhar antes de chegar ao Porto. Os passageiros em transferência são um não assunto, os intercontinentais do Porto são quase exclusivamente ponto-a-ponto.

Isso que comentas da fraca experiência (conhecida por toda a gente) que afasta passageiros de ligação da Portela tem outro ponto interessante. Hoje a TAP consegue praticar a partir do Porto preços de ponto-a-ponto com voos em ligação, e consegue por ter a operação que tem no AFSC. Sem ela, terá que ter uma politica de preços igual à que tem em estações como Madrid, onde os voos via LIS, geralmente, são bastante mais baratos que os directos a partir de LIS. Ou seja, poderíamos chegar ao ponto em que a concorrência recupera os principais intercontinentais, reforça os hubs europeus e em que os intercontinentais da TAP a partir do Porto são significativamente mais baratos que a partir de Lisboa. Daí a grande dificuldade dos senhores da TAP, eles querem concentrar mas sabem que a probabilidade de a prazo as coisas correrem mal é grande.

Pessoalmente, o único cenário que não gosto é o da manutenção da operação tal como está.

Comentar por Pete351

Acho que falo em nome de todos, quando digo que é um prazer ler os comentários do Pete, muitíssimo bem informado e racional…obrigado Pete pelo blog e pelas ideias partilhadas.

Comentar por Nunopinheiro

Ora essa Nuno, eu é que agradeço a vossa participação.

Comentar por Pete351

A ser verdade, é um valente balde de água gelada para o AFSC…

http://24.sapo.pt/article/rr-sapo-pt_2015_12_02_2068176974_tap-admite-acabar-com-voos-de-longo-curso-de-e-para-o-porto

Devemos preocuparmo-nos?

Comentar por Luis Abreu

Detesto a TAP. O que vale é que Madrid está aqui ao lado, sim porque recuso-me a apanhar o que quer que seja a Lisboa.

Comentar por Allure

Ou há também Frankfurt… e Istambul! se isto for verdade, fico desiludido com a TAP!
Pessoalmente – e estando a viver à alguns anos no estrangeiro – nada me move especialmente contra a TAP, mas sim contra o aeroporto de Lisboa, depois de uma má experiência vivida em 2007… jurei para nunca mais utilizar a Portela, logo não utilizar a TAP!! sendo portuense, tenho que ‘puxar a brasa à minha sardinha’ e a qualidade do AFSC é muito superior à Portela (não sei como evoluiu a Portela nestes anos e em 2007 ainda nem havia o terminal 2). Sim, depois usei algumas vezes Madrid (outro campeonato…) embora não tenha gostado muito da IB, mas isso são gostos pessoais🙂 também usei umas vezes Paris e Amsterdão (sim, outros campeonataos, também…!). Passo muito bem sem ir a Lisboa!
Se isto for verdade, como tenho expressado sempre, que venham outras companhias com hubs mais fortes – é pena para o tráfego para o Brasil, não teremos muita escolha além da TAP… grrrrr

Comentar por Luis Abreu

Infelizmente já contavamos, mas já agora que baze de vez (incluindo rotas europeias), por certos outras companhias ocuparão o seu espaço com muito mais assertividade e consideração pelo população servida pelo Sá Carneiro.

Comentar por zoficial

eu nunca gostei da TAP porque sempre tratou o Porto com desprezo. Para eles, o nosso aeroporto estava bem servido em 2005… nota-se. Graças a deus outras companhias vieram entretanto.
Por mim não fazem falta nenhuma. Quero acabar com as rotas no Porto para nos obrigar (ainda mais) a ir a Lisboa, porque querem fazer de lá um grande hub. Mas se eu tiver que ir a um hub apanhar um voo, vou ao de Madrid que é bem melhor com muito mais oferta.

Comentar por Allure

Eu não vos disse que esses voos shuttle entre Porto e Lisboa seria para terminar de vez com os voos longo curso a partir do Porto? É tudo para tornar a Portela numa mega hub.

Comentar por Allure

Estou desiludido. Então nessa notícia vocês ignoram o mais relevante? Diz lá que os voos da TK passam a diários, carago!

Comentar por João Ferreira

Quanto à Turkish, é bom para o mercado africano/asiático, embora me pareça um bocado longe para ir para as Américas, aí já funciona a Iberia, a Lufthansa é ainda mais equilibrada, pois Frankfurt nem é tão longe assim… fica-nos a faltar o mercado brasileiro e sabemos o quão importante isso é: nesse caso, ficamos sempre reféns da Portela/TAP! uma pergunta curiosa: existe algum impedimento para a TAM voar para o AFSC, p.ex.? ou é falta de interesse estratégico? sempre tinhamos todo o Brasil liagado, através de São Paulo/Rio… (a TAP e a TAM fizeram parte da mesma aliança, mas já não o são agora).

Comentar por Luis Abreu

Não surpreende ninguém. A TAP privada pode fazer o que entenda… Até percebo a logica, do ponto de vista do seu negocio… As coisas para a TAP e outras companhias de tamanho equivalente a TAP estão complicadas, as muito grandes podem fugir a concorrência das LCC baseando o seu negocio no longo curso e redistribuição desse trafego… A TAP apostou e bem IMO em ser forte num subSegmento do atlântico sul.
Agora nessa logica o Porto fazia muito pouco sentido tirando o detalhe que as rotas operadas eram provavelmente lucrativas.
O problema é que a TAP abdicando do Porto abre a porta a concorrência, o atlântico norte provavelmente vai ver entrada de empresas do outro lado do lago com B756 ou no futuro A312neo e neoLR. O Atlântico sul a ver vamos, a asia desconfio que não deve faltar muito para uma das das operadoras do médio oriente teste as águas. É como o diretor do aeroporto dizia com os volumes de trafego a atingir 12 M o Porto já não pode ser ignorado, e na guerra entre as grandes alianças é uma porta aberta no mercado português/norteIberico.

Por outro lado o Porto deve continuar a crescer na Lógica P2P as LCC vão cada vez mais tomar conta do trafego regional europeu até que comessem a tentar o longo curso como a norwegien, IMO a revolução a seguir…(se bem que não tenho a certeza se o B787 é o avião ideal para isso.)

Comentar por nunopinheiro

Como sempre digo sobre esse tema, não é coisa que me preocupe. Contrariamente a Lisboa, a TAP nunca operou rotas por razões politicas no Porto, e mesmo as rotas de longo curso actuais, só EWR não foi “herdada” da concorrência. O mercado é dinâmico e não devemos estar preocupados desde que não entre 0,01€ de dinheiro publico na TAP.

Acho triste é esta discussão se fazer agora, depois do contrato estar assinado. O Rui Moreira, se queria fazer pressão, deveria te-la feito durante o processo de privatização, mas preferiu desvalorizar a situação e deixar Lisboa impor as condições que mais lhe convinham, como é costume. Só consigo entender esta demanda tardia como forma de pedir contrapartidas ao Governo caso a TAP efectivamente saia do Porto (e antes de que se veja a concorrência preencher o espaço).

Comentar por Pete351

Desde já tiro o chapéu à menina que perguntou pelo Porto, quis saber algo fundamental e que nenhum jornalista deste país se lembrou de perguntar.

Sobre a apresentação:
– Importantíssimo o foco nos custos de produção, e usarem como referencia a Ryanair e a easyJet. Uma TAP com uns custos de produção semelhantes à easyJet poderia perfeitamente assumir uma operação europeia no Porto, passando a questão de económica a opção estratégica.
– Gostei de ver como olham para a PGA, mais como feed regional do que como plataforma ponto-a-ponto. Um dos problemas da operação da TAP em OPO é precisamente o uso excessivo da PGA em detrimento dos A32S.
– Parece-me bem a ideia de implementar um sistema shuttle entre Porto e Lisboa, mas depende da execução e das expectativas deles. LIS, como hub, não aguenta um feed horário ou bi-horário, portanto seria necessário focar também no ponto-a-ponto. Contrariamente ao que muitos parecem pensar, acho que seria uma medida muito positiva para o Porto.
– Dentro do plano estratégico, parece-me que foi dado muito ênfase à parte do produto mas ainda pouco à parte da rede. Os números parecem atirados para o ar e sempre muito vagos. – Sobre o que eles pensam de OPO, parece-me razoável. O foco vai continuar a ser Lisboa, o que é natural, mas reconhecem a importância do Porto. Este reconhecimento, juntamente com o foco nos custos, são sinais positivos também para OPO.

Comentar por Pete351

Pete, por acaso já ponderas-te, em organizar um encontro (podia ser p.ex. um jantar num restaurante), para todos os blogers que gostam do AFSC, para assim se poderem trocar impressões, sobre este e outros assuntos, sempre relacionados com o nosso aeroporto?.

Comentar por carlos sousa

Não me choca a ideia uma espécie de ´ponte aérea´ OPO-LIS, se isso nos desse hipótese de apanhar qualquer ligação a qualquer hora a partir de LIS! (como faz p. ex. a IB) e admitindo que assim a TAP cessaria todas as operações a partir do AFSC … acho que é difícil esperarmos um modelo descentralizado, tipo LH (FRA/MUC) ou um modelo com bases mais pequenas tipo AF (como me parece ser o modelo actual da TAP, já que vendo bem, até temos um nº razoável de ligações a partir do AFSC…)
Em relação ao modelo ‘low-cost’ também não me parece de todo descabido; quem quer opções, paga-as.
Posso falar por um modelo que conheço, o da AF, que já usei algumas vezes… o preço mais básico só incluía a lugar no avião e uma bagagem de mão, nem milhas de passageiro frequente dava e a bagagem de porão era paga à parte

Comentar por LUIS ABREU

Boa Noite

Espero que sinceramente agora com os novos donos da TAP, o Porto, seja encarado de um prisma diferente. A reparar nos comentários que David Neeleman fez quando afirmou que ficou espantado nos 10 minutos que esteve no OPO e observou que havia 8 aviões de companhias lowcost. Não tenho dúvidas que Lisboa será sempre o focus e penso que faça sentido, no entanto espero que algo se altere para o Porto.
Parece-me uma ideia excelente se a mesma se efetivar várias ligações entre OPO-LIS-OPO ( não vejo necessidade de serem hora a hora conforme anunciou David) desde que as tarifas sejam efetivamente ao mesmo valor ou equivalentes a Ryanair. Penso que faria todo o sentido usar a frota de aviões da PGA para este serviço. Espero é que seja para breve porque eu viajo praticamente de 2 em 2 semanas do Porto para Lisboa e vice versa e assim teria mais opções de escolha.
Também gostei da ideia de existirem diferentes níveis de serviços/preços distintos dentro da mesma aeronave.
Acredito sinceramente que o futuro para a TAP será as viagens de longo curso e algumas rotas estratégicas para a europa desde que os preços sejam competitivos, porque acredito que por valores equivalentes o povo português escolherá a TAP para viajar.

Aguardo com alguma expetativa os próximos meses.

Um Abraço a todos os seguidores do blog.

Adérito Lopes

Comentar por ALopes

Luis, não foi dito que a melhoria da rota Porto-Lisboa levaria directamente ao fecho das outras rotas a partir do Porto. O que foi dito é que essa melhoria estava prevista, e que o resto ainda estava em estudo. A LH tem um shuttle horário entre MUC e FRA sem inviabilizar a operação em MUC, para não falar do caso da Alitalia entre LIN e FCO.

ALopes, dificilmente um serviço shuttle OPO-LIS teria um preço igual ao da Ryanair, mas provavelmente teria outras vantagens. Normalmente, neste tipo de serviços, há muita flexibilidade a nível de horários e os tempos mínimos de chegada ao aeroporto costumam ser muito reduzidos (15-25 min.). Isso tem um preço.

Carlos, eu não vivo em Portugal portanto não é algo que pondere, mas se vocês quiserem organizar entre vocês podemos criar um espaço fechado aqui para combinarem.

Comentar por Pete351

Ter um shuttle Porto-Lisboa não em choca minimamente e até pode ser positivo para muitos voos intercontinentais, principalmente se a TAP fizer o “normal” que é ter preços idênticos para quem sai de Lisboa e do Porto, sendo um voo directo com escala.

Da mesma forma a TAP se abandonar o AFSC nas rotas europeias vai-se tornar insignificante, tendo menos valor que uma Lufthansa ou uma Turkish. A TAP não se pode esquecer que a sua rede de rotas é FRACA.

Adicionalmente permitiria o reforço das lowcost e a entrada de outras companhias de Hub europeu.

Posto isto a saida da TAP com o seu mini-hub do AFSC até me parece que pode ter benefícios claros.

Comentar por Joao Carvalho

Claro que sim João. Lisboa é a única rota em que a TAP tem um factor diferenciador e é bom para nós que o explorem porque nenhuma outra o fará, mas o mesmo não se passa nas restantes rotas. Nas europeias apenas 4 rotas tem menos que 2 operadores a concorrer com a TAP, e nas intercontinentais, já hoje a concorrência opera rotas com menos potencial que Nova Iorque ou São Paulo. Acresce que a saída da TAP de rotas como LON, BRU ou ZRH, hubs da concorrência, criaria espaço para esses mesmos concorrentes absorverem o mercado e passarem a oferecer um serviço muito mais competitivo para aceder às suas redes.

Portanto para o Porto o estabelecimento de um shuttle para Lisboa é sempre positivo, independentemente do que a TAP decida fazer com as restantes rotas.

Comentar por Pete351

Pelo que parece a TP não perdeu tempo e já encomendou os seguintes aviões :

14 A330-900neo e 39 A320neo (15 A320neos e 24 A321neos)

Comentar por Salgueirista

Os novos donos da TAP, querem transformar a Portugalia em companhia regional, e voos entre Porto e Lisboa, mínimo de hora em hora, Bem, isto parece me que mais que nuncam teremos de ir a Lisboa apanhar ligação para qualquer destino ou quase.

Comentar por zoficial

Não percebo porquê. Tantos voos Porto-Lisboa nunca é bom sinal na minha opinião. Muitos acredito que serão para fazer apanhar voos lá

Comentar por Allure

Onde retirou essa informação, acerca da frequência de voos entre Porto e Lisboa?

Comentar por Carlos M

http://livestream.com/livestreaming-pt/tap tudo aqui

Comentar por nunopinheiro

Pelo que se percebe ainda estão a estudar o que fazer com a operação no porto e o seu mini hub no AFSC. o mais provável é reduzir ainda mais centralizando a operação em LX, maximizando a disponibilidade de ligações lá para o tráfego de médio/longo curso.
O que se foi afirmando sobre a Portugalia parece apontar muito mais numa lógica de reforço de ligações com cidades menores a partir de Lisboa.
Nada contra, o que acharem melhor para a empresa, agora que não é o contribuinte a pagar só posso esperar que outras empresas se disponham a prestar o serviço lucrativo que a TAP poderá não querer fazer.

Comentar por nunopinheiro

É boicotarem a TAP, para não lhes darem motivos de centralizar ainda mais o hub a Lisboa. Se querem passageiros, que abram rotas a partir do Porto.

Comentar por Allure

Em princípio o actual governo de gestão cai amanhã. Depois muda a cor. Vamos là ver como vão conseguir empatar o processo de privatização da TAP…. Cheira-me mesmo, que por politiquice vão empatar aquilo. A concorrência vai agradecer. As contas públicas menos… só se agora passamos a ter petróleo…
Ainda por cima a UE limita a intervenção dos Estados na recapitalisação das companhias. O que obrigará a redução de pessoal e redução de frota…
Vamos assistir à uma telenovela nos próximos tempos…
Esperando que a companhia não saia prejudicada…

Comentar por Salgueirista

Nem quero entrar muito em politiquisses, mas fundamental mesmo é que o Estado não meta 0,01€ lá dentro. A partir daí que façam como quiserem.

Comentar por Pete351

Nunca viajei na TK. Mas os aviões deles parecem estar muito bem equipados (monitor individual. No que se vê da cabine no vídeo sobre os distúrbios de alguns SD). Pelo que vi no blog acho que utilizam Airbus A319 ou A320 para o Porto.
Portanto aguardo os futuros A32x da TP que virão sem dúvida tb muito bem equipados. Aí sim por que não um vôo transatlântico nos futuros A321.

Comentar por Salgueirista

Nem todos os aviões são assim, para o Porto mandam os narrowbodies melhor equipados (B738 e B739, principalmente) porque é um sector longo, mas há outros “normais” para os mais curtos ou para rotas com baixo yield.

Comentar por Pete351

Sim Pete.
Com certeza. E com a política tudo é possível infelizmente… São talentosos para empatar projetos… Vamos lá ver como aquilo fica…

Comentar por Salgueirista

Entretanto o processo de privatização ainda não terminou apesar do parecer favorável. Ainda hà as condicionantes da negociação da dívida e na esquina a mudança de equipa governativa… Com os discursos demagógicos (se querem dar cabo da companhia que continuam assim…). Mais demora o processo e a concorrência agradece.
Houvi dizer que a FR andava em negociações com a TP e outras companhias “regulares” para code share em vôos de longo curso. À acontecer poderá ser uma oportunidade para desenvolver novas rotas desde o Porto.

Comentar por Salgueirista

Parece que mesmo se o PS for para o Governo honrarão os acordos assinados para a privatização. Sinceramente, era o que mais faltava termos que meter 1€ que seja na TAP para depois a UE vir dizer (quase de certeza) que a operação do Porto tem que se fechar.

Comentar por Pete351

Bom dia,

Já há alguma perspectiva de como a TAP ‘privatizada’ vai gerir as operações no AFSC? mais rotas, menos rotas? que ideias têem os novos donos?

Comentar por Luis Abreu

Infelizmente ainda não se sabe o que pretendem fazer no Porto.

Comentar por Pete351

Não me parece que façam nada de jeito. Só se ouve falar de Lisboa para aqui e para ali. O resto é paisagem.

Comentar por mykka

Em parte, deve-se muito à imprensa que só procura saber o que se vai passar em Lisboa. Ainda estou para ver um jornalista perguntar-lhes sobre o Porto.

Comentar por Pete351

http://observador.pt/2015/10/13/tap-regulador-da-aviacao-aprova-contrato-impoe-condicoes/

Um parecer favorável mas com condições.

Comentar por Salgueirista

Ou seja, alterando os estatutos da Atlantic Gateway de acordo com as recomendações da ANAC o parecer haverá luz verde do regulador. Boa noticia, esperemos que se mexam o quanto antes.

Comentar por Pete351

Ouvi dizer que à partir de Janeiro os vôos europeus da TAP deixam de incluir snack ou refeições passando para um serviço de vendas topo FR ou EZ. É verdade?

Comentar por Salgueirista

Até pode ser, mas não tenho conhecimento de tal alteração. Onde é que viste isso?

Comentar por Pete351

Foi um passageiro que me disse no domingo, à tardinha, quando regressava para Paris. Ainda fiz umas buscas na Net mas não encontrei nada sobre o assunto e ele tb nao me disse onde teve esse pormenor.
De qualquer maneira não ando atrás de uma refeição quando viajo com a TAP e acho que os upgrades que eles fazem devem sair caros para a companhia.
Pronto a companhia está adaptar-se à concorrência.
Espero que tb não reduzem muito as regalias do programa Victoria…
Outro pormenor mas já sabíamos que isto ia acontecer. O quiosque da TAP, das revistas já foi retirado no aeroporto (já que as revistas e jornais podem ser descarregados na apps TAP. Para quem têm claro…)
Gostaria de saber o que vai ser feito do pessoal do quiosque.

Comentar por Salgueirista

O mais provável é ter sido imaginação desse passageiro. Nem pensava mais nisso.

Sobre os upgrades, não lhes custam nada. No caso da TAP, há dois motivos normais que levam ao upgrade do passageiro: ou há overbooking em económica, e nesse caso o custo da refeição business / lounge / fast track é mais baixa que a indemnização, ou então é porque algum passageiro da cabine executiva por algum motivo (mudou de voo, perdeu a ligação, etc.) não compareceu, e nesse caso o gasto com a refeição já foi efectuado e aproveita-se para premiar os passageiros frequentes a custo zero.

Comentar por Pete351

http://www.jornaldenegocios.pt/empresas/transportes/aviacao/detalhe/venda_da_tap_decidida_pela_autoridade_da_concorrencia.html

Um link para o Jornal de Negocios.
Finalmente a Comissão Europeia não vai decidir nada sobre a privatização da TAP.

E outro.
http://www.jornaldenegocios.pt/empresas/transportes/aviacao/detalhe/compra_da_tap_avaliada_em_portugal_espanha_e_alemanha.html

Boa leitura

Comentar por Salgueirista

Na minha opinião é a forma que a comissão encontrou para aprovar. Sendo que assim não tem que reprovar ou fingir que o senhor barraqueiro é o dono…
Do ponto de vista da concorrência não há problema na minha opinião. Era mesmo só a vedação a não europeus do controlo de companhias aéreas europeias que seria o problema.

Comentar por nunopinheiro

Esta é uma decisão a nível da concorrência, não para saber se a estrutura accionista cumpre com as regras comunitárias. Portanto a questão base mantém-se, embora se saiba que se a ANAC autorizar, dificilmente a UE se vai opor.

Comentar por Pete351

Já agora falando na futura nova frota da TAP. Novos A321 e 319 e/ou 320. Li há dias na Net que a Delta Airlines (EUA) estava a renovar os airbus 320 e estavam entre outras coisas equipados com ecrãs individuais.
Tudo isto para dizer que que se calhar os 321 (e sem duvida os outros) irão aparecer com este tipo de equipamento sobretudo se é para serem utilisados em LC.
Na Europa por enquanto acho que não há ainda muitas companhias com esta configuração.
Já agora acho que a TAP estava na vanguarda quando na altura começaram a receber e renovar os Airbus com os mini ecrãs.

De resto alguém sabe dizer para quando está previsto o parecer das autoridades europeias?

Comentar por Salgueirista

Pelo que sei a tendencia global é menos ecras individuais porque Como toda gente viaja com tablets transporta na pratica o seu sistema de entertenimento pessoal.

Comentar por nunopinheiro

É muito comum as companhias americanas terem ecrãs individuais (com conteúdos pagos), tomadas eléctricas e wi-fi (pago) nos seus aviões de médio curso. Isto deve-se ao facto das distancias serem longas e teres muitos voos de 3/4/5/6h. Basta ter a noção que os voos costa-a-costa não são muito mais longos que um Porto-Boston, por exemplo.

Na Europa os voos são muito mais curtos, e portanto os passageiros não valorizam essas comodidades (embora nada desculpe a falta de tomadas eléctricas).

Quanto ao parecer la UE, só depois da ANAC publicar o seu.

Comentar por Pete351

Olá.
A base principal da FR em Portugal é no OPO. Se o projeto de ccode-share com a TAP fôr para frente isto não poderá ser mais uma oportunidade de outros vôos longo curso desde o Porto?
Não devemos esquecer que um dos objectivos da privatização é desenvolver as ligações de longo curso.

Comentar por Salgueirista

Poderia ser uma grande oportunidade para o longo curso a partir do Porto, caso os novos donos decidam que é algo em que querem apostar.

Comentar por Pete351

Com os A321neo LR… Fazia sentido… mas entre fazer sentido e ser implementado….

Comentar por nunopinheiro

Os A321LR podiam fariam sentido para Nova Iorque, Caracas e eventualmente Luanda (se o bilateral fosse revisto). Mas um A330 faz sempre falta para o Rio ou São Paulo.

Comentar por Pete351

“Ryanair admite parceria com TAP em voos de longo curso”
jornal de negocios

será isso possivel de acontecer?

Comentar por nes

Já por várias vezes a “nova” Ryanair mostrou interesse em fazer feed para o longo curso de várias companhias. Na minha opinião, a questão já não é se mas quando e a quem.

Comentar por Pete351

Sim o interesse da Ryanair parece simples de compreender, a Questão é mais quem é que quer ser parceiro nestes moldes. Nas sei se à TAP interessa. não me parece que qualquer companhia dentro da Star Aliance o vá fazer. Para alem disso O aeroporto de Lisboa não esta preparado para isso na minha modesta opinião, a transferência entre os dois terminais é tudo menos eficiente.

Comentar por nunopinheiro

Qualquer companhia que não uma das grandes europeias (Grupos IAG, AF-KLM e LH) teria potencialmente interesse em trabalhar com a Ryanair. A TAP, na minha opinião, poderia beneficiar muito de uma parceria dessas e principalmente em ser a 1ª em avançar.

Quanto à Portela, no passado a TAP operou voos domésticos e com grande % de passageiros em ligação a partir do T2 e a operação funcionava. No AFSC seria ainda mais fácil fazer. Portanto não será por aí.

Comentar por Pete351

Pete foi por ter usado o T2 nesses moldes que disse o que disse, não achei nada eficiente. No AFSC é obvio que tem condições para isso (não sei muito bem qual a capacidade de handling de bagagens no nosso AFSC mas alguma estará lá) Aqui o problema é que a TAP tem muito pouca presença no medio/longo curso no nosso Aeroporto. (ovo e galinha eu sei)

Comentar por nunopinheiro

Por acaso nunca nunca fiz a transferência T1->T2 em LIS, mas no fundo é só apanhar um autocarro. Nada que não se faça noutros aeroportos por esse mundo fora sem qualquer tipo de problema, com a vantagem que as chegadas são todas no T1.

Bem sei que a operação é pequena, mas precisamente por isso faria sentido até numa lógica de teste. Além disso seria uma boa oportunidade da TAP impulsar o longo curso, ou até algum médio curso para África, a partir do Porto (dentro do razoável).

Comentar por Pete351

A TAP está impedida de qualquer acordo com a Ryanair enquanto for membro da StarAliance, como é óbvio. E não é imaginável ver a TAP fora da StarAliance. A mim parece-me claro que é manobra da Ryanair para testar as águas porque a TAP tem novos accionistas.

Comentar por Joaquim Tavares

Joaquim, a TAP não está impedida coisíssima nenhuma e é livre de trabalhar com quem quiser.

Repara que já hoje a TAP tem acordos com companhias low-cost que pouco ficam a dever à Ryanair, como a Gol, tem um acordo com a Alitalia com um nível de profundidade como tem com poucas companhias da Star Alliance, tem maior relação comercial com a Finnair (Oneworld) que com a SAS, e é a única companhia europeia com um acordo de code-share e reconhecimento de FFPs com a Emirates, o enimigo nº1 da LH. E excepções como esta há muitas, quase podíamos ficar até amanhã a descreve-los.

As alianças “românticas” como descritas muitas vezes na internet não existem, e no fim do dia cada companhia fará o que melhor entender para o seu negócio.

Comentar por Pete351

Encontrei este vídeo e achei bastante interessante pois mostra algumas das potenciais novas rotas que o consórcio pode trazer.
http://sicnoticias.sapo.pt/economia/2015-06-25-Novos-donos-da-TAP-esperam-que-empresa-volte-aos-lucros-ja-em-2016

Comentar por Rui

para Lisboa claro…

Comentar por Allure

Hoje foi finalmente assinado o contracto, e ficamos a saber que os novos aviões serão um misto de A339, A321 (LR incluidos) e A320. Os 12 A359 serão trocados por 14 A339 e alguns A321LR. Os A332 actuais serão reconfigurados com um produto exactamente igual ao da Azul, os A321LR foram apresentados exactamente com a mesma configuração que os da JetBlue com o produto Mint, e os A339 com uma configuração parecida à dos A332 reconfigurados, mas com mais lugares (executiva e económica)

Sobre a PGA aparentemente ainda não está nada decido, mas estando confirmado o apoio do BNDES em principio estarão na mesa Embraers novos (a função do BNDES é essa, financiar a exportação de produtos brasileiros).

Pelo que percebi, nem uma palavra (ou pergunta) sobre o Porto. Vi um resumo da conferencia e no mapa de rotas fiquei com a ideia que aparecia uma linha verde claro a partir do Porto para os EUA, mas não tenho a certeza. Vou tentar procurar um vídeo e ver com mais cuidado.

Comentar por Pete351

Pete, se arranjares o link e poderes partilhar, também gostava de ver o vídeo.
Obrigado.

Comentar por Rui

TVI: http://tviplayer.iol.pt/programa/noticias/53c6b3613004dc006243c401/video/558a957d0cf294349affc0f3

RTP (resumo):http://www.rtp.pt/noticias/index.php?article=839351&tm=6&layout=122&visual=61

Para quem puder voltar atrás na box, a RTP Informação fez uma boa cobertura da conferencia de imprensa (ontem das 12h às 12h30)

Comentar por Pete351

Pelo que li, o David Neeleman que fazer voos transatlânticos com os novos Airbus A321LR que pretende comprar.
Acham possível? E não poderá haver mais voos transitarísticos a partir do Porto se estes voos forem efetuados com estes aviões

Comentar por Rui

Pá, se eles querem abrir mais 8 a 10 rotas para o Brasil, eu duvido que haja 8 ou 10 aeroportos novos para eles servirem a partir de Lisboa.

Comentar por João Ferreira

Quando a Airbus apresentou o A321LR já tinha dito que me parecia ia ser o futuro dos Porto-EUA, embora não estivesse a pensar na TAP sinceramente.

João, quando eles falam dessas rotas estão a falar de Lisboa, disso não há dúvida. Os dos EUA quase os disse todos: Boston, Providence, Hartford, Nova Iorque (JFK), Washington, Chicago, Orlando, Fort Lauderdale. No Brasil indicaram alguns como Cuiabá, Curitiba e São Luís, e, não sendo Brasil, também falaram de Buenos Aires.

Comentar por Pete351

Pete por acaso vi um video na RTP sobre a apresentação da estratégia. Fala sobretudo do hub de LIS… Tens razão nada sobre o Porto. No video vê-se o mapa com varias rotas. E logicamente com uma cobertura cada vez maior no Brasil e os tb os novos voos aumentar para os Estados Unidos (Aparentemente Washington e Boston e Chicago entre mais outros)…
Enquanto à frota os 19 A330 NEO vão dar para renovar a frota actual de 14 A330 e os antigos A340.E serão mais economicos ao nivel de combustível para optizar operações.
Os 321 NEO de porte maior tb deverão ajudar no reforço de certos destinos e até europeus.
Não estão previstos vôos para Ásia. Acho curioso porque até no grupo de investidores há Chineses (entre outros)

Mas isto depois com o tempo tudo pode evoluir… logo se verá.

Vou deixar um link para o curto video RTP.(tem de ser descarregado)

http://m.rtp.pt/index.php?m=2&n=5_1&t=rss&sn=1&wi=1,350,2,1,mp4&tit=Novos+donos+da+TAP+querem+mais+rotas+para+EUA+e+Brasil

Comentar por Salgueirista

Por acaso consegui ver melhor o mapa na RTP Informação e afinal a partir do Porto não aparece nenhuma intercontinental. Aparecem, isso sim, as Europeias que se operam na actualidade.

Os voos para a Ásia sempre foram uma aventura, não me surpreende que queiram matar já essa ideia. É preferível aprofundar a parceria com a Emirates e trabalhar com a Air China (nesse sentido, acho que nos no Porto nos devíamos começar a mexer para conseguir que o triangular passe por OPO), que como sabemos é uma companhia que não tem problemas em abrir rotas financeiramente não-rentáveis mas que sejam interessantes a nível económico ou estratégico para a China.

Comentar por Pete351

pete351 tens algum link para a informação de que os 350 vão ser trocados por 330+321?

Comentar por nunopinheiro

Foi dito na conferencia de imprensa. Tens os links mais acima um bocado, se a quiseres ver.

Comentar por Pete351

eu depois encontrei… obg.. faz sentido IMO. talvez por status pudesse manter alguns para rotas com maior volume. A ideia da Ásia éra tonta IMO.
Os 321Lr podem ser também uma boa aposta. parece um avião que faz bastante sentido para iniciar rotas de médio/longo curso. Pena provavelmente ser tudo para LX, mas faz sentido para o modelo que a TAP quer implementar.

Comentar por nunopinheiro

Puramente por status seria ridículo, mas para as rotas de São Paulo, Rio e Luanda, eventualmente poder-se-ia fazer, mas como a Azul vai receber A359, sendo necessário eles poderão ter essa flexibilidade à mesma para as rotas brasileiras.

Comentar por Pete351

Pronto deixa la isso não estou aqui para fazer comentários ridículos.

Comentar por nunopinheiro

Tu podes comentar o que quiseres, mas convém argumentar essas ideias. Para mim, uma companhia gastar centenas de milhões adicionais na compra e outras centenas numa operação sub-óptima de aviões puramente por prestigio é ridículo (ainda para mais sendo esse avião o A350, que ninguém conhece), mas se achas diferente expõe os teus argumentos.

Comentar por Pete351

Pete, tas a argumentar o que eu argumentei, concordamos, não sei porque decidiste entras numa de qualificar um argumento tangente de ridículo.
Aviões novos dão sempre algum prestigio, não é novidade isso e o A350XWB é com o Dreamliner são os mais novos widebodies do mercado e pessoalmente que ainda não voei em nenhum deles estou com vontade de voar.
é o argumento mais importante?
Não não é, pouca gente liga muito a isso mas quem viaja muito costuma ligar alguma coisa.
Relembro que quem disse que seria “puramente por status” foste tu. Comprimentos.

Comentar por nunopinheiro

Pete obrigado pelos links.
Sim está tudo mais esclarecido. O Sr Neeleman estava mesmo com muita vontade de falar, e fazer tipo um show à americana… contrastando com o Sr Pedrosa que é menos exuberante.
Viva a era da comunicação…
Vamos lá ver o que vai acontecer com a PGA e como vão renovar a frota… Uma Azul Atlantica ou Europa…
Pelo que percebo a frota vai manter-se mais ou menos no mesmo numero de aparelhos.
Portanto para desenvolver novos destinos vão ter de cortar outros. Aperece muita rota verde e depois veremos o que sobra…
Faz parte do negócio da privatização segurar o hub de LIS mas não tenho dúvida que OPO não será esquecido. E claro nesta operação comunicação tinham de falar mais sobre Lisboa.
De qualquer maneira eles estão aí para ganhar dinheiro e tem de ser rentável como é obvio.
O Sr Pedrosa está lá para ser a cara daquilo e permitir que o dossier passe o check da U.E…
Dossier bem preparado.

Comentar por Salgueirista

A frota da TAP tem margem para ser ligeiramente aumentada ou reduzida, ela não precisa de ser integralmente substituída como se quer dar a entender na comunicação social. O único problema relativamente urgente é os Fokker da PGA, os outros conseguem aguentar e estando completamente pagos compensam em custo de capital uma menor performance operacional.

Eu acho que faz sentido para eles, sozinhos ou em parceria com a Azul, manterem uma operação significativa no Porto principalmente para manter a concorrência à distancia como até agora. E quando olho para o funcionamento tanto da JetBlue como da Azul, vejo que são empresas bastante descentralizadas e que operando em países com outra dimensão geográfica, as principais bases distam sensivelmente o mesmo que Porto e Lisboa. Mas como não tem dito nada a esse respeito, nunca se sabe.

Comentar por Pete351

Acho que o modelo que eles querem para a Tap não é bem esse infelizmente.
No entanto tenho para mim que como o tipo não me parece burro, que pretenda fazer qq nos moldes do que dizes, se vai ser com a TAP mesmo ou com uma Portugalia é que é a questão.

Comentar por nunopinheiro

Nuno, isto não é questão de modelo (não sugeri nenhum modelo diferente do actual), é questão de eles se protegerem da concorrência. Se a TAP perder o mercado Porto-Brasil e Porto-EUA para a concorrência vai acontecer o mesmo que com Angola quando a TAAG abriu Luanda-Porto, mas a outra escala.

Mas não vejo indicação nenhuma de que vá para um lado ou para o outro.

Comentar por Pete351

Ai a ccomunicação social… Isto já parece os matutinos desportivos na altura do mercado das transferências… Mais outra noticia hoje à tarde…

http://expresso.sapo.pt/dossies/diario/2015-06-16-Novo-patrao-da-TAP-Vender-avioes-para-tratar-do-problema–E-falso.-Temos-600-milhoes-frescos

Comentar por Salgueirista

Pois, esse é que me parece ser o problema. Tem havido muita informação a sair cá para fora que não é verdade, e assim fica dificil discutir o que quer que seja. Na próxima semana já será assinado o contracto, e esperemos ter mais novidades nessa altura.

Comentar por Pete351

Já agora. Hoje é noite de S. João, há noticias de outro interesse. Estão agora à encher nos com a divida grega…
E portanto nada na imprensa online sobre a assinatura do contrato de privatização da TAP…
Estava marcado para hoje não é? Foi adiado…

E já agora um Bom São João para todos os bloggers!!! Plic Plic plic!!!

Comentar por Salgueirista

É verdade que os Fokker da PGA têm trazido dificuldades ao grupo. Avarias e vôos cancelados.
Alias nos planos de renovação da frota PGA estavam previstos Embraers ou CS Bombardier já não tenho a certeza. E mais dois ATR à juntar aos dois actuais para reforço e substituir os dois Beechcraft.
Nunca pensei que a frota poderia atingir 120 e tal aviões. Mas pensava que poderia ser beneficiada em alguns aviões… Cerca de 5 aviões. Para permitir uma operação mais folgada. E evitar os transtornos operacionais do ano passado… Tiveram de reforçar a frota com airbus da Air India um pouco à pressa… Obrigado Star Alliance.
Apesar de os A340 serem autênticos bêbados em querosene ainda servem e estão em bom estado e o interior renovado com mini tv individuais em economica.
Jà há algum tempo que não se vê um A340 da TP no AFSC não é?
Mas acho que até podem ser dos primeiros à ser substituídos por aviões Neo que permitem uma poupança em carburante.
Aliás a AF (que vive um processo de transformação para melhorar as contas e ser mais competitiva) está à proceder um pouco como a TAP. Estuda e pondera tb adiar a recepção dos A350 previstos para o ano. E vai pôr de lado alguns A340 (info da imprensa francesa).
Tudo isto para dizer que espero que por detrás desta privatização não estejam coisas mal contadas… E que a empresa fique prejudicada…

Comentar por Salgueirista

Olá.
Acho que é uma artimanha financeira que pode beneficiar as contas e resultado da empresa. E uma maneira de arranjar liquidez.
Salvo erro muitas companhias têm um parque de avioes alugados… em leasing.
E depois vai permitir preparar a renovação da frota. Trocando na altura certa para aviões mais recentes.
Isto confirma a ideia que a frota não vai aumentar. No final a companhia vai ficar com 70 e tal avioes como actualmente.
Neste aspecto estou um pouco desiludido.
Enquanto à privatização, falta o aval da UE. Cheira-me que vai ser chumbada já que o Sr Neeleman não é cidadão europeu (só se arranjar um visto Gold de última hora…) e é ele que vai ficar com a maioria do capital. Sobra uma pequena fasquia para o grupo Barraqueiro.
Terá isto à ver, o facto de o governo ponderar capitalizar os 34% que sobram, já em bolsa…

Mais um comentário. A privatização da TAP é irreversível. E os políticos de qualquer bordo que sejam. Que tenham juízo e não deixem apodrecer mais a situação e aumentar mais o passivo da companhia. Se não é facil, a concorrência agradece…

Comentar por Salgueirista

Salgueirista, o visto gold é só isso, um visto de residência. Não dá nacionalidade portuguesa ao seu portador. Ainda assim, creio que o arranjo com o Humberto Pedrosa será suficiente para passar o crivo da UE.

Quanto à frota, suponho que terão alguma flexibilidade. A urgência é mesmo só os F100. A maioria dos A330 ainda tem muitos anos pela frente, o mesmo para os A32S, e os A340 não são ideais mas aproveitam-se bem em LAD e GRU. Além disso imagino que haverá alguma flexibilidade com a Azul. O que era irrealista era pensar que a TAP ia receber uma injecção de +50 aviões, ficando com uma frota maior que a Iberia e quase tão grande como a da Alitalia ou KLM.

Comentar por Pete351

Boas
Hoje tava a ver os jornais que diz que a TAP quer trocar os seus lugares dos a350 para uns lugares no a330…
E que quer vender todos os aviões para depois os alugar e com esse dinheiro injetar na empresa capital.
Não estão a fazer o contrário?A descapitalizar a empresa ainda mais? E que sentido faz uma companhia não ter aviões próprios?

Quem perceber mais de aviação do que eu,se me poder esclarecer agradecia🙂

Comentar por Serv

Não no imediato é obter mais cash, no caso de trocar os 350 por 330 como os 330 são mais baratos… fica com o remanescente, ha forte procura pelos 350 que a TAP iria receber.
No caso de vender a frota para a alugar, é comum operações deste genro, a frota ta velhota e recebia algum cash agora que em troca daria para pagar o aluguer dos mesmos durante alguns anos…

Comentar por nunopinheiro

Caro Serv,
Quando, há poucos dias trás aqui escrevi que a informação que se ia sabendo, a conta gotas pelos jornais, revelava que a privatização da TAP era uma história muito mal contada e que os factos estavam em contradição com o que antes se havia dito para justificar “esta” privatizaçãoa, vem-se confirmando a cada dia que passa.
Já sei que me vão chamar nomes por escrever o que penso, mas é cada vez mais díficil de negar que tudo indica que estamos em presença de uma operação feita com intuitos e objectivos cada vez mais obscuros.
Já sabíamos que os 53 novos aviões são pura fantasia e afinal até se vai atrasar um ano a entrega prevista dos A350. Agora fala-se que já poderão não ser A350 mas sim A330, pelo menos a maior parte. Ontem soube-se que afinal a prometida injeção de liquidez na tesouraria que antes era “urgentíssima” vai ser afinal feita com recurso a uma operação de lease back com a venda da frota e celebração de contratos de renting ou leasing (coisa que já podia estar feito sem privatização). E que afinal o consórcio vencedor exigiu a manutenção das garantias do estado da dívida e que seja o estado a renegociar a reestruturação da dívida com os bancos credores. Isto é se isto correr mal serão os contribuintes a pagar.
Hoje soube-se que o estado brasileiro parece que vai participar no consórcio com mais de 25% do capital através do BNDES, ou seja a confirmar-se no imediato o estado português mantêm 34% e o estado brasileiro (via BNDES) mais 25%, isto faz 59%. E chamam a isto uma privatização??
O que se está a verificar é que entrada de dinheiro fresco para capitalizar a empresa vindo dos “compradores”, Barraqueiro + David Neeleman não se vê nada e pelos vistos todo o financiamento da operação está montado através do lease-back, do BNDES e das “private equities” associados ao Sr. Neeleman. O Barraqueiro, como se desconfiava, não risca nada e só está no consórcio para contornar as regras da UE. Os tão propagandeados planos de expansão etc. etc., está-se a ver que são conversa da treta para enganar papalvos.
E agora o Governo diz que só revela o contrato e os termos negociados com o consórcio vencedor depois de este assinado.
Acho, que uma vez mais,os contribuintes estão a ser tomados por parvos.

Comentar por Joaquim Moura

Uma operação de Leaseback como se tem falado é perfeitamente normal, inclusivamente para aviões que ainda não foram entregues. Também é perfeitamente normal uma companhia ter uma boa parte da frota leased.

Quanto à história dos A350, o que eu percebi é que vão adiar e vender os slots a outras companhias que queiram receber os aviões mais cedo. Uma eventual troca de A350 a A330 parece-me mais fruto da imaginação de algum jornalista, embora eu até ache que racional a TAP dividir a encomenda agora que a Airbus lançou o A330NEO. Fora de GRU, GIG e LAD o A359 é um avião muito grande para a TAP.

Comentar por Pete351

http://economico.sapo.pt/noticias/sergio-monteiro-nao-ha-aval-da-divida-da-tap_220938.html

Portanto renovação da frota de 2017 à 2025.
Previsão de frota = 77 aviões.
Frota actual = 77 aviões
Não vai haver milagres para já e aumentos de frota. Pelo menos esperamos aviões mais recentes… Incluindo sem dúvida a dezena de A350 previstos … para 2017 salvo erro…

Comentar por Salgueirista

O verdadeiro conteudo da proposta da Azul começa a conhecer-se a conta gotas que é para não gerar muita indignação nem polémica. Afinal a capitalização para permitir dar folga à gestão de tesouraria, que era “gravíssima” vai aguentar. Assim como a redução da “gigantesca” dívida que afinal parece que já não é prioritária, nem tão grave como era dito. E a tão propalada aumento da frota (“mais 53 aviões”) vai-se a ver e não passa de uma renovação da frota atual ao ritmo que faz com qua a frota fique no numero atual. A propaganda não resiste à realidade.
Esperavam milagres? Será que já viram as demonstrações fianceiras da Azul no Brasil (http://www.voeazul.com.br/downloads/df-azul-2013.pdf).
Afinal vai-se a ver e eles tem uma dívida de mais de 3000 milhões de Reais, ou seja práticamente o mesmo que a TAP. Vamos a ver onde está a TAP daqui a 2/3 anos, mas isto pode correr muito mal, caso a TAP venha a ser contagiada pela situação da Azul no Brasil, que convém lembrar, já adiou a entrada em bolsa por 3 vezes.

Comentar por Joaquim Moura

Esquece a politiquice…..A TAP esta na falecia e ponto final. Ou era vendida ou fechava como muitas outras. O único estado da Europa que mantinha uma companhia aérea com 100% do seu capital é exclusivamente PORTUGAL. Temos aviões a voar com mais de 25 anos…sabes o que isso representa….(LATAS VOADORAS). E Alem disso a TAP é sim TAL (Transportadora Aérea de Lisboa) e todos nós íamos pagar bem se ela não fosse despachada.

Comentar por Ricardo Sousa

Joaquim, tem toda a razao!. Lamentavelmente, o consorcio que adquiriu a maioria do capital da TAP, nao ira renovar tao cedo a frota de longo curso da TAP, que se encontra verdadeiramente obsoleta!. (ver jornal Pulico de 13 Junho). Vamos ser invadidos de Embraeres, 170,190 (avioes pequenos), de curto e medio alcance , fabricados no Brasil, claramente inferiores aos Airbus 319, 320, 321 ou aos Boeig 737. Relativamente a renovacao dos velhos A340 e A330 (longo curso), nada, nem no curto, nem no medio prazo!.

Comentar por carlos sousa

Ao que parece o consórcio, não tem em vista a compra de Embraeres, mas sim os novos Airbus Neo que irão permitir poupar combustível.
http://expresso.sapo.pt/economia/2015-06-12-Novos-avioes-chegam-a-TAP-entre-2017-e-2025

Comentar por Rui

Caro Ricardo Sousa,
Politiquice??? Só porque eu tenho uma opinião diferente da sua? Porque é que a minha é politiquice e a sua não é?
Não manifestei nenhuma opinião sobre a privatização. Considero contudo que ela podia ser feita de outra forma, garantindo a manutenção do controlo públcio e com transparência que não existiu como agora se pode constatar. Basta ver as noticias de hoje no Expresso e no Público. A começar pela propalada renovação da frota, que era dita que ia ser feita de imediato e pelos 53 novos aviões. Patranhas. Afinal começam logo por atrasar a entrega dos novos A350 (tão necessários à TAP) para depois de 2017. Primeira patranha e só agoira começou. Umas atrás das outras.
Por outro lado, mostre-me onde eu escrevi algum facto não verdadeiro. É mentira que a Azul está sobreendividada? Simples basta ver as demonstrações financeiras que mostram que deve mais de 3 mil milhões de reais à banca.
A Azul está com enormes prejuízos acumulados nos últimos anos? Basta ver no mesmo documento mais de 600 milhões de reais de prejuízos acumulados nos anos de 2011 a 2013.
A Azul está com enormes dificuldades em capitalizar-se com a dispersão de capital em bolsa? Basta ler a imprensa brasileira e ver que já adiaram por três vezes a operação de colocação de capital. Sabe porquê? Porque ninguém quer comprar ações da Azul no Brasil. Porque os brasileiros sabem bem que as companhias de aviaçãs brasileiras são mal geridas, tem um péssimo serviço e tem prejuízos crónicos. Todas sem exceção. Prove-me que estou errado.

Comentar por Joaquim Moura

Não tenho de provar nada a ninguém….. ninguém sabe nada ou quase nada do acordo que foi firmado…..a única certeza e essa é 100% publica e confirmada, é a TAL((Transportadora Aérea de Lisboa) que está na falência e que tem a (LATAS VOADORAS) ao seu serviço. Desconheço, mas ai o Pete acho que pode ajudar, que a TAL, deve ter a frota mais envelhecida da EUROPA….

Comentar por Ricardo Sousa

A Azul foi fundada em 2008,passados 7anos já tem 151 aviões.
Claro que esse crescimento enorme deve ter sido feito com recurso a banca.
Agora existe uma diferença em divida insustentável e sustentável…Se a azul continuar a crecer ao ritmo que cresce vai ser fácil pagar a divida.Agora a divida da TAP é diferente,é tão grande como a da Azul mas não cresce,mantem-se igual.

Uma coisa é certa ele já criou várias companhias aéreas e as mais recentes(JetBlue e Azul) foram um sucesso. E ninguém quer comprar uma companhia aérea para leva-la a falência,portanto parem de esperar o pior.

De qualquer das maneiras a nós poucos nos interessa,o aeroporto do Porto cada vez menos depende da TAP e ainda bem.

Comentar por Serv

Joaquim, eu não percebo o que tens contra a Azul ou o David Neleeman mas se calhar era bom que nos explicasses qual era a melhor solução, na tua opinião? Ser o Estado a recapitalizar? Avançar com essa ideia peregrina de 51% para o Estado?

Ricardo, há companhias com frotas mais envelhecidas que a TAP. O problema está principalmente nos Fokker da PGA.

Serv, realmente uma empresa com >10 anos e com uma expansão forte e que acaba de entrar no longo curso, se não tivesse dívida era um milagre de gestão.

Comentar por Pete351

Pete351,
Eu não tenho nada contra a Azul nem contra o David Neeleman, que nem sequer conheço.
Acho é curioso que os que, como eu, têem uma visão crítica “desta” privatização sejam acusados de fazer “politiquice” e de estarem contra a Azul. Eu não considero que o Estado português necessite de ter 51% da companhia para manter o controlo. Quem conhece o codigo das sociedades comerciais sabe que com uma posição de 34% se tem poder para vetar decisões contrárias ao interesse estratégico de Portugal (mudança do hub, mudança da marca, mudança da sede, plano de investimentos, etc.) em assembleia geral. Esse poder pode ser ainda reforçado por um pacto parassocial que tivesse ficado estabelecido no contrato de privatização.
Porque é que o Governo não o fez? Pelo contrário, comprometeu-se já a vender os restantes 34% ao vencedor da 1ª fase da privatização?
Além disso não é verdade que não houvesse outra forma de privatizar a TAP garantindo o controlo público da companhia e capitalizar a empresa.
A TAP é um grupo de empresas, cujo maior accionista é a Parpública. Bastava terem feito um spin-off do grupo com a separação da ex-VEM do Brasil e libertando o balanço da TAP do passivo e divida correspondente. Isso permitiria sanear o balanço da TAP e reduzir o seu passivo enormemente (pelo menos em cerca de 400 milhões de euros). Claro que a Parpública teria de assumir essa parte do passivo e a dívida (de qualquer modo já se abe que vai manter as garantias públicas sobre a dívida da TAP mesmo depois da privatização estar concluída, o que eu acho escandaloso).
O spin-off permitiria uma redução do peso da dívida e alivio da tesouraria da TAP, dando-lhe os recursos financeiros para o plano de investimentos com a renovação da frota. E daqui a 2/3 anos depois de melhorado o balanço (só a baixa do combustível melhora os resultados operacionais em mais de 100 milhões de euros ao ano), se poderia fazer uma privatização faseada em bolsa. Isto era exequível e já foi feito em outras empresas de outros sectores e mesmo parcialmente em companhias aéreas.

Resposta ao Serv:
O endividamento da Azul em finais de 2014 era de 3.260 milhões de reais (cerca de 980 milhões de euros ao cambio a essa data).
A Azul registou prejuízos nos últimos quatro anos superiores a 500 milhões de reais e a dívida cresceu todos os anos.
Factos: A zul tem uma dívida práticamente igual à da TAP para receitas muito menores. A TAP teve em 2004 receitas de 2698 milhões de euros e as receitas da Azul te foram de 1744 milhões de euros. Como pode dizer que a dívida da Azul é sustentável?
Se assim fosse não seria dificil conseguir financiar a operação. Neste momento o peso do serviço da dívida nos custos da Azul é bem maior que o mesmo peso nas contas da TAP. Estes factos podem ser comprovados aqui: http://new.flytap.com/prjdir/flytap/mediaRep/editors/Contentimages/PDFs/Institucional/Relatorios/2014/2014/Relatorio_e_contas_Consolidado_2014.pdf

e aqui:
http://www.voeazul.com.br/downloads/df-azul-2014.pdf

Comentar por Joaquim Moura

“Bastava terem feito um spin-off do grupo com a separação da ex-VEM do Brasil e libertando o balanço da TAP do passivo e divida correspondente.”
E quem arcava com os prejuízos e indemnizações referentes a ex-VEM, o contribuinte português?
Já fazia pouco sentido o estado de portugal arcar com uma companhia que só de nome era de “bandeira” na pratica seguia já a muito uma lógica (que não critico) de maximização do seu lucros e discriminação da sua operação em HUB na Portela. Agora term,os de arcar com uma que nem sequer está cá????

Comentar por nunopinheiro

Nuno Pinheiro,
Será que não se deu conta que esses prejuízos estão já assumidos nas contas e no balanço da TAP e da Parpública? E como a Parpública consolida nas contas das Administrações Públicas pelas regras da União Europeia, está consequentemente contabilizado nas contas do chamado perimetro público (conta consolidada do Estado).
Do ponto de vista do contribuinte o spin-off não muda nada. O custo é igual.
Além disso o valor pago pela Azul no concurso já levou em consideração a situação passiva líquida das contas consolidadas do grupo TAP.
Aliás o spin-off teria duas outras vantagens: 1) reduzindo o montante da dívida da TAP permitia baixar a taxa de juro; 2) aumentar o numero de interessados na privatização, dado que muitos se desinteressaram exactamente por causa de estar incluida a empresa de manutenção no Brasil.

Comentar por Joaquim Moura

Heee se estavam vão deixar de estar na proporção do capital alienado, aka do ponto de vista do contribuinte muda e muito…Só porque o passivo ta registado não quer dizer que esteja pago.
É muito simples, sem VAR provavelmente A TAP poderia voltar a endividar-se (provavelmente para ser pago por nos como sempre no passado), mas o saldo negativo da VAR teria de ser pago por todos nos.
Com a VAR vende-se a TAP mas também se vende o passivo da VAR/TAP.

Comentar por nunopinheiro

Joaquim, eu também não sou fã da maneira como esta, mas principalmente outras privatizações foram feitas, mas prefiro assim que deixar tudo na mesma e esperar que venha o PS e as suas ideias mirabolantes de manter 51% ou dispersão em bolsa.

E entre dar garantias / estar dentro do perímetro público e assumir directamente essa dívida vai uma grande diferença. Eu não quero nem 0,01€ dos meus impostos enterrados na TAP, principalmente depois da greve vergonhosa de Maio, e pelo que vejo é uma opinião bastante popular.

Comentar por Pete351

Vamos lá ver se a politiquice não vêm empatar o processo… Basta ouvir o PS, Bloco já a reclamar. Mas já agora… quem foi que iniciou o processo há uns anos atrás… Pena ter deixado passar a possibilidade depois da hipótese SWISS AIR, de ter entrado para a Lufhtansa ou Air France, que até chegou se a falar que estava interessada…). A dívida, a crise. A política ditou outro rumo. Adiante…
A UE vai ter de avaliar o caso e dar o seu acordo. Ainda falta muito para completar o processo…
O grupo Avianca já estava na Star Alliance.
O grupo de Neeleman traz na cartola fundos de investimentos americamos… Portanto isto agora vai ter de ser rentável…
Enquanto à frota. Fala se em 40 e tal aviões. Mas se for só para renovar os actuais então ficamos mais ou menos na mesma… A TAP tem cerca de 50 e tal airbus e cerca de 20 entre Fokker, Embraer e Atr da PGA.
Então vão poder entrar os Embraer para renovar a PGA. A azul é composta por Embraer.
A Jetblue está bem apetrechada com airbus.
Acho que convinha reforçar a companhia com alguns Airbus rapidamente para permitir uma operação mais folgada. E tentar novamente desenvolver alguns destinos.
Acredito que com o tempo vão haver mais vôos para os USA desde o Porto.
Reparem o FSC serve tb um pouco de mini hub para a TAP. Basta ver brasileiros ou alguns americanos que preenchem o vôo da manhã procedente de Paris Orly para depois seguir para Newark ou São Paulo ou Rio dependendo do dia da semana.
Acho que o desenvolvimento da Portela com o tempo vai ser mais limitado. Não vejo bem como vão poder fazer outra pista ou desenvolver o aeroporto naquele sitio.
Aí o Porto vai poder mostrar os seus trunfos.
Enquanto à aliança não sei se vai alterar alguma com a Star Alliance.
Depois dos Bus o grupo Barraqueiro passará à ter Airbus… (lol)

Comentar por Salgueirista

Ainda bem que não se vendeu a uma companhia europeia, teria sido muito pior. Basta ver como são geridas as companhias do Grupo Lufthansa e como se prioriza a companhia mãe.

Quanto ao “mini-hub” (é um hub), é assim, realmente há alguns passageiros em transferência, mas são bastante poucos. Os aviões de longo curso saem com +90% de passageiros ponto-a-ponto, o que é um ponto a nosso favor porque para tráfego em ligação que é preciso vender com desconto já tem Lisboa.

A Portela ainda tem muita vida, contaram-nos que não tinha porque queriam fazer o NAL à força toda, nada mais. A pista não é um problema, basta olhar para Gatwick que com 1 pista tem quase 40 milhões de passageiros.

Não há motivo para a TAP sair da Star Alliance, não faria sentido. Pode, e muito provavelmente terá mais parceiras extra-aliança (como já tem a Emirates, Ukraine IA, SATA ou Finnair), mas isso todas tem.

Comentar por Pete351

Sim o problema não é a pista ou não é esse essencialmente o problema lá, O terminal é bem pior que a pista, mas ainda mais complicado é a aproximação a pista que não é ideal e o pior é mesmo a falta de espaço para a operação para os 350 falam em acabar com a pista secundaria para arranjar onde os parque-ar.

Comentar por nunopinheiro

Nuno, a Portela tem mais que espaço para os A350, o terminal tem capacidade disponível e a aproximação da pista também está mais que certificada.

Podia ser melhor? Podia, da mesma maneira que no AFSC há muito que se podia fazer, mas não havendo dinheiro para mais é o que há.

Comentar por Pete351

Pete, apenas tentava por em perspetiva o numero de 40M com uma pista só. Não discordo de fundo com a opinião de que a Portela é capaz de bem mais. com a pista existente. mas tem Limitações, limitações que tentei expor. Limitações que são importantes para perceber os seus limites. Agora a questão é se algum dia será necessário um novo Aeroporto para substituir a Portela, especialmente no vetor da futura TAP e dos seu planos de HUB Europeu para o Brazil.

Convenhamos a Portela e em particular o seu terminal não é muito eficiente e nunca foi pensado para funções de HUB.

Comentar por nunopinheiro

Concordo totalmente com a privatizacao da TAP.
Mas atencao que, se o PS ganhar, o processo de privatizacao reverte a estaca zero. Se assim for, havera por certo um Downsizing da companhia, saindo prejudicado o numero de passageiros que passam pelo nosso AFSC !.

Comentar por carlos sousa

É o cheiro a campanha eleitoral, eles tem que criticar o Governo e a maneira que arranjaram foi essa. Quando governavam e havia dinheiro também queriam privatizar a TAP.

Comentar por Pete351

Como o David Neeeleman comprou a TAP, alguns destinos operados pela Azul ou a Jetblue que são empresas da qual ele é CEO a TAP pode começar a voar para estes destinos também?

Comentar por Rui

Ele não é CEO da JetBlue nem coisa que se pareça. Aliás, tem tanta influencia que a Azul ainda não conseguiu um acordo com a JetBlue para alimentar os seus Brasil-EUA…

Comentar por Pete351

À primeira vista é a melhor escolha, capital português e brasileiro e segurança na aposta e reforço da TAP como líder na ligação Brasil-Europa. Também cai bem que Neeleman fale português, não é coisa pouca. A escolha de Efromovich teria um grau de incerteza quanto ao futuro muito maior.

Comentar por miguelito

Isso de ter segurança em ter capital português, sinceramente, não me diz nada. Não acho que Efromovich fosse uma opção com maior grau de incerteza, se não todo o contrário. Enquanto Efromovich tem experiência em dar a volta a empresas em mau estado, Neeleman tem experiência em criar empresas do zero… são duas coisas bem diferentes.

Comentar por Pete351

Expectativas, Pete?

Comentar por João Ferreira

Os dois candidatos eram bons, na minha opinião. Provavelmente teria preferido Efromovich, entre outras porque caso a TAP quisesse abandonar OPO-GRU, teríamos duas opções (TAM e Azul), assim só teremos uma. Espero que os detalhes das duas propostas sejam conhecidos brevemente e tenhamos uma melhor ideia do que aí vem.

Comentar por Pete351

Mas acreditas que vão cortar no Porto, ou vai ficar +- na mesma?

Comentar por João Ferreira

“David Neeleman tem a intenção de reforçar os voos e os destinos da TAP nos Estados Unidos, tornando este um mercado mais relevante para a companhia. Uma estratégia que passa igualmente pelo reforço da frota.”

pode ser que com mais avioes o Porto venha a ter mais rotas para o EUA

Comentar por nes

Não acham que a TAP tem demasiados destinos para o Brasil e poderia apostar em outros destinos como EUA, Caraíbas (onde muitos portugueses passam férias), Ásia (onde acha que teria sucesso)?

Comentar por Rui

As Caraíbas estão bem servidas com voos charter, não são destino, na minha opinião, para voos regulares. Já a Ásia acredito que seja aposta quando chegarem aviões novos. De qualquer maneira penso que a Ásia vai ser um mercado difícil, pois temos a Emirates a ganhar terreno em Lisboa…

Comentar por Carlos M.

João, eu se fosse a eles cortava algumas coisas Porto e substituía outras, mas não sei qual é a ideia do Neeleman. A estratégia de bloqueio que a TAP tem seguido tem funcionado, mas não sei o que ele pensa sobre isso.

nes, quando falam em rotas para os Estados Unidos estão a falar a partir de Lisboa. Se a TAP mantivesse Porto-Nova Iorque com frequências adequadas já estávamos mais que servidos.

Rui, repara que a Iberia, com um mercado próprio que multiplica por 10x o nosso para a Ásia e com um hub que é umas 3x superior ao que a TAP tem em Lisboa não voa para a Ásia porque não lhes saem as contas. Eu não vejo nenhuma vantagem comparativa da TAP neste caso, portanto duvido muito desse sucesso enorme que alguns pregam.

Comentar por Pete351

Ou seja, vai ficar tudo na mesma. Centralizado em Lisboa e a TAP a cagar-se pra nós… vira o disco e toca o mesmo.

Comentar por Allure

“Os dois candidatos eram bons”? Por acaso já viajou com regularidade na Azul ou na Avianca Brasil? Por acaso conhece os resultados operacionais das principais companhias brasileiras (Goal, TAM, Azul, Avianca, etc)?
Sabe que as companhias aéreas brasileiras tem prejuízos crónicos há muitos anos e que só a integração com a LAN salvou a TAM da falência? Sabe por acaso que a generalidade das companhias brasileiras apresentam os piores indicadores de serviço e satisfação de clientes?
Leio o que aqui se tem escrito e verifico, que quem participa neste forum não sabe do que fala. Quem tenha vivido alguns anos no Brasil e viajado de avião dentro do Brasil, sabe que a maioria das coisas aqui escritas não correspondem à realidade. Basta falar com oa brasileiros ou com os portugueses do Brasil e perguntem-lhes o que acham da TAP e da Azul. Vão ver quanto estão errados. E a TAP piorou muito no último ano e meio. Não acredito que o pessoal da TAP esteja à espera que a Azul lhe vá aportar know-how operacional, porque conhecem m uito bem a realidade do Brasil. Lamentavelmente.

Comentar por Joaquim Moura

Joaquim Moura, por acaso no ano passado fiz vários voos domésticos no Brasil com a TAM, Gol, Avianca e Azul, e sem dúvida achei o serviço da Azul e Avianca superiores. Mas o que está em causa nem é isso, o que estava em causa era privatizar a empresa e escolher entre duas propostas.

Também não estava em causa a complexidade do mercado brasileiro de aviação, e que leva a esses prejuízos sucessivos.

Allure, pensar que algum dia a TAP iria ter uma operação equilibrada entre o Porto e Lisboa é uma ideia utópica. Não faz sentido do ponto de vista do negócio.

Comentar por Pete351

Não digo equilibrada mas justa, o que não é o caso. A TAP sempre desprezou o Porto.

Comentar por Allure

É verdade que já há muito tempo que não se pode contar com a TAP para desenvolver o AFSC, mas não quero tirar conclusões sobre os novos donos antes de os ver em acção.

Que a CS e o Governo só queiram saber de Lisboa não é nada novo, mas por não se dizer nada sobre o Porto não significa que não tenham planos, quaisquer que sejam.

Comentar por Pete351

Agora que acabamos de saber que a TAP vai ser vendida a David Neeleman, está aberta esta página para discutir tudo relacionado com a privatização.

Comentar por Pete351

O David Neeleman ainda é dono da JetBlue?

Comentar por Serv

Tem menos de 10% do capital.

Comentar por João Ferreira