aerOPOrto


Estatísticas 2017
2015 2016 2017 Var. (%)
Janeiro 491.994 560.689 692.523 +24%
Fevereiro 462.470 561.713 664.418 +18%
Março 554.518 650.102 768.615 +18%
Abril 695.362 761.619 940.400* +23%
Maio 724.020 844.045
Junho 749.962 854.548
Julho 822.938 934.725
Agosto 901.771 994.755
Setembro 790.155 899.671
Outubro 736.498 867.409
Novembro 563.281 696.578
Dezembro 595.839 752.273
Total 8.088.623 9.378.127 3.065.956
Rolling Year: 9.909.960
Previsão 2017: 10.705.037

Top 10 City Pairs

Paris 1.261.284 458.954 Frankfurt
Lisboa 1.089.863 389.358 Bruxelas
Londres 649.762 381.657 Barcelona
Genebra 639.425 338.596 Funchal
Madrid 559.573 243.812 Luxemburgo

Histórico

1999 2000 2001 2002 2003 2004
2.832.722 2.731.637
2.682.511
2.573.799 2.605.946 2.944.134
2005 2006 2007 2008 2009 2010
3.108.186 3.402.805 3.986.748 4.535.813 4.509.350 5.283.361
 2011 2012 2013 2014 2015  2016
 6.004.589 6.055.021 6.372.470 6.932.816 8.088.623  9.378.127

_______________________________________________________________
1: A previsão é efectuada com base nas variações previstas no nº de lugares pelas companhias aéreas, considerando uma ocupação média mensal igual à do período homólogo do ano anterior.

*: provisório


94 comentários so far
Deixe um comentário

Maio, Junho, Julho, Agosto, Setembro e Outubro, terão de ser sempre superiores a 1 MC de passageiros !!!.

Comentar por Vasco Valente

Maio, temo que podemos ficar um bocadinho abaixo, algo entre os 992 e os 996 mil!
Pode ser que eu esteja enganado!
Os outros sim Vasco, valores acima do milhão certamente!

Comentar por skiespassion

Maio e Outubro acho que ficaremos perto mas abaixo do 1 milhão

Comentar por Allure

e Junho também

Comentar por Allure

Maio, Junho e Outubro eventualmente podemos ficar abaixo de 1M, mas vai a ser a bater muito perto.
Vamos esperar pelos resultados de Maio para ver qual a curva de evolução uma vez que Abril distorce um pouco os resultados em virtude da Páscoa.

De qualquer das formas os resultados alcançados em muito estão a ser satisfatórios.

Comentar por CVP

A pena mesmo é não termos ainda grande evolução nos movimentos de charter. Ainda nos falta trabalhar bastante mais nesse sentido (operadores), pois o potencial de mercado está cá, mas sempre a ser desviado para Lisboa pois não temos aqui esse mercado a funcionar.
O que para os nortenhos significa sempre férias mais caras, pois as pessoas têm sempre uma deslocação (e por vezes dormida) a Lisboa o que onera a carteira.

Comentar por CVP

Nos charters outbound, principalmente nos de longo curso, há sempre 2 problemas: os operadores portugueses estão sediados em Lisboa e querem os voos lá, e o mesmo com os espanhóis e Madrid. Se conseguíssemos que os operadores portugueses metessem os voos no AFSC e que os operadores espanhóis vendessem esses voos na Galiza conseguíamos ter voos todo o ano para as Caraibas, que no verão conseguiam ser diários. Mas acho muito difícil acontecer.

Comentar por Pete351

Ou seja o problema só se resolve se algum operador abrir base charter no Porto?

Comentar por João

Não é questão de abrir base, isso é irrelevante nos charters, o que importa é onde estão as empresas que os contratam

Comentar por Pete351

Por base era isso que queria dizer.

Comentar por João

Maio tem tudo para chegar ao milhão,com a vinda da monarch,o diário da klm e a taxa de ocupação a subir as condições devem estar reunidas.

Comentar por Afonso Pinto

Aposto mais em Junho, acho que em Maio vamos ficar próximos, mas não atingir.. O diário da KLM só começa a meio do mês (mais precisamente hoje, dia 15), e a Monarch transporta no máximo 3.500 semana (poderá ser 15.000 pax no mês). Não temos a Páscoa mas temos mais um dia em Maio… Eu diria que o valor vai ser semelhante a Abril! Vamos ver 🙂

Comentar por Diogo

Tradicionalmente Maio é sempre um mês mais forte que Abril, ficaria surpreendido se este ano fosse a excepção, a dúvida é sempre em saber quão mais forte será.

Comentar por Pete351

Entretanto consegui atualizar as principais rotas com dados até Abril, e nada como constatar como, à parte de Roma, as restantes rotas europeias que a TAP cancelou não só voltaram à normalidade, como já estão em máximos.

Também é interessante ver como o volume necessário para fazer o Top 5 é cada vez mais alto. Paris vai bem encaminhada para os 1.5M, Londres para os 0.8M, Genebra para os 0.7M, Madrid para os 0.6M, Frankfurt e Barcelona para os 0.5M.

Comentar por Pete351

É para quando, voos para Roma ???.

Comentar por José Freire

José, há voos para Roma. Poderiam haver mais, mas há.

Rui, foi isso, atualizei os dados dos city pairs. Sobre os 11M, continuo a achar que não chegamos lá este ano. Depende de como correr o verão e de como for o inverno (não acho que a programação esteja fraquinha para ser Maio), mas é muito difícil.

thekiller, a questão de Heathrow vai-se colocar eventualmente, não há muitos aeroportos europeus com o volume de passageiros, diretos e indiretos, que o Porto começa a ter que não estejam servidos pela BA para Heathrow. No entanto não acho que precisem de trocar, a operação para Gatwick funciona bem e podia até ser reforçada, sem prejuízo de um eventual Heathrow. Relativamente aos Porto-Madrid, o foco tanto da Iberia como da Air Europa tem sido sempre alimentar o longo curso, ignorando o ponto-a-ponto e as ligações europeias. Nesse sentido a operação com aviões regionais funciona bem. No caso da Air Europa este verão já mudam dos E145 para os ATR, que não sendo tão grandes como os E190 são um bom passo nesse sentido. Tendo em conta que a rede europeia deles é bastante fraca e não tem grande vantagem no ponto-a-ponto, acho que não podemos esperar muito mais. No caso da Iberia o desafio é que eles tenham interesse no ponto-a-ponto e nas ligações europeias. O salto de um CRK para um A319 não é assim tão grande e é perfeitamente assumível, embora idealmente o que haveria seria uma nova frequência em A32S que pernoitasse no Porto.

Comentar por Pete351

Boa noite Pete. Vais introduzir os dados atualizados dos City Pairs?

Já agora achas que OPO chega aos 11M este ano? A programação para o próximo Inverno está fraquinha…

Comentar por Rui21

Pete, visto que a Air France e a KLM entraram agora em força no AFSC e com isso alimentar os seus HUB’s, podemos prever alguma mudança na British Airways no que toca a mudar Gatwick por Heathrow ou vai arriscar a perder clientes para as outras duas compainhas?

De igual forma acontece o mesmo com a Iberia e com a Air Europa que continuam a mandar para cá aviões pequenos ao invés de aviões mais confortáveis e maiores…

Comentar por thekiller1314

Com estes número de abril, podemos prever 6 meses acima do milhão de passageiros? maio a outubro?

Comentar por João Ferreira

Não me parece muito fácil que isso possa acontecer (6 meses)…
Crescimentos de 19% e 18% em Maio e junho parecem-me mais difíceis de conseguir. Mas mesmo não atingindo vamos andar lá muito perto isso é garantido.

Em 3 meses (Julho, Agosto e Setembro) é mais do que razoável atingir essa marca mítica para o AFSC, coisa que ainda não se conseguiu.

Comentar por CVP

Se a ocupação média crescer sim, será possível, mas não é fácil. Em Abril cresceu uns 4 pontos percentuais (muito à custa da nova politica tarifária da TAP), mas em 2016 ainda só estava nos 84%.

Maio andou pelos 86% em 2016, portanto há menos margem, e não há um efeito tipo pascoa, mas repetindo os 88% de Abril já chegava. Julho-Setembro chegam lá.

Comentar por Pete351

E já agora valores mais oficiais de março 768615 pax para um crescimento de 18,23%

Comentar por nunopinheiro

Números muito interessantes para abril, de certo com influencia da Pascoa, neste momento basta um crescimento médio de 2,5% no que resta do ano para atingirmos os 10 milhões, e 16% para chegar aos 11 milhões, (começa a parecer possível)

Comentar por nunopinheiro

Eu diria mesmo que neste momento podemos mesmo ultrapassar essa barreira

Comentar por Ricardo Sousa

Li o artigo da Presstur…

E os numeros de Newark, se havia lugar para mais 20% este ano, o ano passado os voos deveriam estar com ocupaçoes baixissimas não? Alarmante

Comentar por Allure

De facto os elevados aumentos no longo curso indiciam que mesmo que as taxas de ocupação estivessem muito baixas, agora devem estar acima dos 95%, em todos os destinos. Veja-se o Brasil com mais 30%, sem aumento de frequências, se a isto juntarmos os brasileiros que chegam ao Porto via Lisboa (que também aumentaram imenso) estou convencido que dava para passarem Guarulhos (S. Paulo) para diário e aumentarem o Rio e Newark, sem grandes riscos. O problema é que a TAP não tem aviões disponíveis.

Comentar por JTavaresMoura

Por algum motivo a PressTur “esquece” sempre que a partir do Porto também há voos para Toronto (entre outras pérolas, como Zurique ser uma rota recente…), pelo que o resultado da América do Norte não é o de Newark.

Relativamente ao crescimento nas 3 intercontinentais da TAP, há 2 motivos muito simples de entender: +20% de lugares em cada uma e uma mudança na politica tarifaria que estimula uma maior ocupação dos voos. No caso do Brasil há ainda a recuperação do mercado, que tem sido sentida por todas as companhias de uma maneira geral.

JTavaresMoura, a TAP tem aviões de sobra, inclusivamente a frota tem crescido, eles é que os preferem dedicar a rotas a partir de Lisboa.

Comentar por Pete351

Aviões de sobra? De que tipo? Dará para fazer crescer a TAP Express no Porto? É que não vejo forma de os intercontinentais crescerem sem a TAP Express os alimentar também.

Comentar por João

Já agora, a presstur esquece Toronto porque não é rota da TAP 🙂

Comentar por João

Pete não percebi uma cena, quando dizes um dos motivos para o crescimento da TAP nos intercontinentais deve-se a + 20% de lugares?como assim, n utilizam os mesmos aviÕes? os A330-200? desculpa lá a minha dúvida…outra questão, como a entrada dos novos aviões A321 LR, não achas q a TAP poderá aumentar assim as frequências das rotas q já existem (uma vez que a ocupação está a aumentar) e abrir novas rotas?

Comentar por Filipe

João, este ano vai receber aviões de longo curso, que é o que “faltaria” para aumentar Newark/Rio/São Paulo. A TAP Express também vai receber aviões novos, embora a questão da alimentação se ponha principalmente do outro lado, não tanto no Porto (para isso a TAP já tem Lisboa). Portanto falta de aviões não é, é mas é falta de vontade.

Filipe, por algum motivo no ano passado houveram menos uns quantos voos do que estavam programados, se não me engano houve uma greve em Março e terá sido por isso. Ao serem voos com poucas frequências semanais, 1 ou 2 dias cancelados supõem automaticamente uma queda de 2 dígitos nas rotas, e vice-versa. Sobre os A32S NEO, a minha opinião é que seriam uma boa ferramenta para a TAP aumentar Newark e avançar com Luanda, deixando o A332 livre para fazer Brasil diário. Sendo realistas, a probabilidade de tal acontecer é baixa, as rotas realmente estão a crescer mas principalmente através de ligações (o aumento de voos a hubs não é alheio a isto) e mais ano menos ano vão chegar a um ponto em que a presença da TAP não será impedimento à entrada da concorrência.

Comentar por Pete351

940 mil no mês de Abril (+23,5% do que em Abril de 2017).
Que brutalidade de crescimento, mesmo tendo em conta que a Páscoa foi em Abril este ano. Como já disse várias vezes, acho que 11 M este ano não é de todo impossível.
Parabéns AFSC

Comentar por Diogo

Onde viste esses dados? Mega crescimento. Mas Abril além de Pascoa é também o primeiro mês de verão IATA.

Comentar por João

Presstur! Fresquinho

Comentar por Diogo

Não para de surpreender. Este ano temos o passageiro 1 milhão garantidamente

Comentar por António Sá Gonçalves

940,4 para ser mais exato.
Ja superamos os 3 milhões

Comentar por Allure

Que grande bomba!

Muito bem!

Comentar por Joao Carvalho

será que Maio irá ser o primeiro mês acima do 1 milhão?

Comentar por Allure

Quando será que os nossos governantes e a TAL começam a olhar para o AFSC de maneira diferente. Sabe-se que este crescimento também tem haver com a ponte aerea que nos trouxe mais trafego. Das noticias o que valorizo e que tem grande potencial de crescimento foi o tráfego intercontinental que cresceu 29,5 no 1º quadrimestre.

Comentar por Ricardo Sousa

É um resultado muito forte, sem dúvida, com crescimento significativo da ocupação média que imagino terá a ver com a TAP. Mas tenho que ver os dados com mais atenção assim tenha tempo.

Comentar por Pete351

não vais actualizar a tabela?

Comentar por Allure

Actualizei agora

Comentar por Pete351

A Azores Airlines vai colocar mais aviões à disposição entre 1 e 3 de setembro devido ao Red Bull Air Race no Porto. É uma informação fresquinha que dentro de semana se confirmará 😉

Comentar por SID

Boa tarde,

A Presstur informa que o Aeroporto do Porto teve, no primeiro trimestre, “2,125 milhões de embarques e desembarques de voos comerciais nos primeiros três meses deste ano, com um aumento em 19,9% face ao período homólogo do ano passado”.

http://www.presstur.com/empresas—negocios/aviacao/aeroporto-do-porto-soma-mais-de-dois-milhoes-de-passageiros-no-1–trimestre/

Comentar por PGOA

Crescimento de ~18,3 % para ~769 mil passageiros em Março! Muito bom.

Comentar por Rui21

quer me parecer que os 10 milhoes estão completamente garantidos, basta um crescimento médio de 4% nos próximos meses para o garantir, já para os 11 Milhões ainda precisamos de um crescimento de 17%

Comentar por nunopinheiro

Wizzair a correr muito bem

Comentar por Allure

Excelente, na linha do que tem feito o AFSC 🙂 e a Páscoa foi em Abril este ano! Com boas taxas de ocupação arriscava para os 11MP 🙂

Comentar por Diogo

como é obvio não iremos ter taxas de crescimento de 17% no Verão, mas se no Outono tivermos crescimentos brutais pode ser que cheguemos aos 11m

Comentar por Allure

Mais um excelente resultado!

Comentar por Pete351

Estatísticas para Março?

Alguma coisa? 🙂

Comentar por Gonçalo

Só para Maio….

Comentar por Ricardo Sousa

Com esta dinâmica de crescimento, poderemos chegar aos 11 milhões, neste ano ?!

Comentar por Miguel Guimaraes

Acho que é bem provável,estamos bem encaminhados, vamos ver como é que corre o W17 será a época decisiva para o resultado final do Afsc.

Comentar por Afonso Pinto

eu olhava para a previsão do pete, ele costuma enganar-se muito pouco

Comentar por nunopinheiro

O ano 2017 já não deve ficar muito distante dos 11M se não houver aumentos muito relevantes no inverno contudo se este crescimento continuar há grande possibilidade de em 2018 saltamos diretamente para os 12M pax.

Comentar por Afonso Pinto

Boa noite foristas!
Tenho uma familiar próxima a trabalhar numa das rent a car do afsc e que hoje me disse que aquilo lá esta uma loucura! Nos ultimos tempos o movimento que eles e outras rent a car têm tido está ao nivel dos meses de verao do ano passado! Perguntei-lhe se era por causa da Pascoa e disse-me que não, que a Pascoa so se notaria na próxima semana. Será que isto significa um aumento grande dos movimentos em relação ao ano passado?

Comentar por Miguel

Se o aumento de passageiros em março tiver sido semelhante ao dos dois primeiros meses (na casa dos 20%) o número de passageiros há-de ficar proximo dos 800 mil. Já perto dos valores atingidos no verão passado.

Comentar por João

http://rr.sapo.pt/noticia/79455/tap_celebra_um_ano_de_ligacao_lisboa_porto_pleno_sucesso_diz_fernando_pinto

Após um ano, eis que somos contemplados com algumas estatísticas à ponte aérea. Falam de uma taxa de ocupação de “cerca” de 75% (o que me surpreende um pouco… mas pronto também confesso que graças a Deus nunca tive que usar esse “serviço”, apenas me surpreende pelos comentários / relatos de quem já usou e diz que vai bem às moscas bastantes vezes), mas agora falarem de sucesso, “ovo de colombo”, e no fim diz que AQUILO NÃO DÁ LUCRO… E, apesar de nunca ter usado e esperar não o fazer, lá vão os meus impostos pagarem o que não dá lucro! Esperem lá.. Não foi por não dar lucro que terminaram com Roma, Milão, Bruxelas e Barcelona! Estou confuso LOOOOL

Comentar por Diogo

“aquilo” é para alimentar os voos de longo curso já se sabe…

Comentar por João

Alguem no seu perfeito juizo iria pensar que pudessem dizer o contrario….. LOL…

Comentar por Ricardo Sousa

Hipócritas !. Já agora, poderiam também dizer como andam as taxas de ocupação dos voos TAP LIS-VIGO-LIS ??!!.

Comentar por Carlos Sousa

Já varias companhias anunciaram a intenção de fazer voos de longo curso com narrowbodies de nova geração. A Norwegian começa já este ano com os 737MAX e inclusivamente vai fazer Bergen-Nova Iorque, que cobre uma distancia sensivelmente igual a um Porto-Toronto. Mas outras companhias como a Air Canada, WestJet, JetBlue ou a LATAM já disseram que vão fazer esse tipo de operações assim tenham aviões, isto sem contar a TAP.

A Level, até prova em contrario, só está para bloquear a Norwegian em Barcelona.

Comentar por Pete351

Não digo que não haja autonomia para tal, mas fazer um voo transatlântico num 737? e o conforto? se estas companhias forem como a Ryanair, é para chegar ao destinos de rastos…

Comentar por Luis Abreu

A distância entre assentos não será a mesma da ryanair de certeza. Mas se calhar haverá na mesma a hipótese de se pagar para mais espaço.

Comentar por João

Além de que pelo que entendo outra das grandes vantagens dos narrowbodies é que conseguem ser economicamente viáveis com menos gente do que um widebody. Dai serem perfeitos para aeroportos mais pequenos e/ou sem serem hub.

Comentar por João

Não me acredito que apostem no Porto

Comentar por Allure

Ninguém espera que existam voos para todo o lado desde o Porto com esses narrowbody. Mas para NY por exemplo se calhar será fácil justificar um voo diário.

Comentar por João

Exatamente, isto é valido para muitos aeroportos não só o Porto, medio/longo curso abaixo das 8 horas de viagem poderão ser feitos com custos muito,MUITO inferiores aos dos WB com risco muito inferior. (nunca vão ser os custos de voos intra europeus em particular por requerer mais tripulação)
Mas desde que seja possível encher o aparelho o simples aumento de frequências faz aumentar também a procura valida o conceito numa lógica de Ponto a Ponto, assim sendo não é necessário financiar passageiros em lógica HUB de forma a encher o avião.
De forma simplista se houver mercado para alguma frequência o Ponto a Ponto transatlântico pode funcionar. (lógica low cost)

Para alem disso também poderá funcionar para HUBS do lado de lá, da mesma forma que a TAP vai em principio abrir bastantes mais destinos a partir de Lisboa do lado de la com o A321neoLR de forma a alimentar o seu HUB, o mesmo se pode esperar com companhias do outro lado, no mínimo replicando a estratégia.

De forma simplista os narrow bodies novos com o seu alcance e custo por assento poderão e deverão abrir muito mais rotas medium/long and thin que antigamente só eram possíveis com yealds mais elevados.

Comentar por nunopinheiro

Luis, a questão do conforto depende principalmente da configuração do avião. Procura como são os A321 da JetBlue com cabine Mint, por exemplo, se calhar vais ficar surpreendido.

Nuno, nem é só a questão do risco, é que permite que entrem muitos mais players no mercado. Nos transatlânticos, está tudo praticamente controlado por 3 grandes JV que restringem fortemente a capacidade do mercado e obrigam o trafego a passar pelos seus hubs. Havendo mais players vai-se quebrar o ciclo, e depois de tantos anos com capacidade restrita, não vão faltar oportunidades.

Comentar por Pete351

http://www.porto.pt/noticias/ana-anuncia-expansao-do-aeroporto-do-porto, “O aeroporto deverá este ano crescer mais 20% e a ANA garantiu que tem “no pipiline” o conjunto de obras necessárias para que o aeroporto possa responder às necessidades da região.”

20% é acima de todas as nossas expectativas, quer-me parecer wisfullthinking não???
colocaria o numero de pax na ordem dos 11.250 milhões

Comentar por nunopinheiro

É possível? O crescimento do número de lugares em S17 é cerca de 20%? Acho que para termos uma melhor noção de como vai correr o ano tenhamos de esperar até sabermos os números de junho…

Comentar por Rui21

O que o presidente da ANA disse foi que ficaria mais próximo dos 20%, o que mesmo assim parece-me exagerado, mesmo que tivessem alguma coisa muito grande na manga para o Inverno.

Mas aquilo não deixou de ser um evento de PR, em que é normal exagerarem um bocado.

Comentar por Pete351

Bom dia,acabou de acontecer uma tentativa de atentado no aeroporto de Paris Orly e há voos cancelados e atrasados. Até que ponto isto irá afetar as estatísticas de Março visto que Paris e a maior rota do AFSC?

Comentar por Afonso Pinto

ATUALIZAÇÃO:O aeroporto fechou completamente e todo o tráfego aéreo foi suspenso.

Comentar por Afonso Pinto

Fechou mas os voos estao a ser encaminhados para aeroporto Orly Norte. O que parece apenas que esta acontecer são atrasos nos voos. O impacto é muito insignificante.

Comentar por Ricardo Sousa

Expliquem-me o seguinte:

A queda de 1999 a 2002
A queda de 2009
A estagnação de 2011 e 2012

Comentar por mykka

é natural que em alguns anos vá ocorrer alguma estagnação, quando há períodos de crescimento tem de haver outros de consolidação, o contrario seria algo ilógico, implicando que uma determinada região estaria severamente sub-servida.
O natural é que após algum crescimento encontremos períodos de consolidação onde algumas rotas com empresas concorrentes levem a ajustes de forma a encontrarem equilíbrios para as empresas que as operem.

Comentar por nunopinheiro

Crash da bolsa + 11 de setembro
Estouro do subprime
Consolidação após dois anos de crescimento brutal

Comentar por João Ferreira

O que era anormal era haver uma linha reta em que só houvesse crescimento. Só na China mesmo.

No caso do Porto, o normal nas últimas 3 décadas é por cada 10 anos haver 1 a 2 períodos de crescimento e outros tantos de estagnação/consolidação. Também por isso tenho dito que 2018 muito provavelmente será um ano de consolidação / crescimento moderado (que sobre uma base de quase 11MPA, ainda dá para muitas novidades).

Comentar por Pete351

Janeiro um bocadinho abaixo das expectativas, com uma queda ligeira da ocupação. Fevereiro em linha, o que é bom sinal.

Entretanto, dos vários dados que a PressTur publicou sobre Fevereiro, o meu destaque é para os dados de Luanda. Já tinha dito que mal começassem a fazer ligações o impacto ia ser muito positivo, e aí está, mesmo com maus horários já levantam muito a rota. Quando entrarem em vigor os novos horários optimizados e as ligações a Maputo e Windhoek, coincidindo com o novo aeroporto de Luanda, vai ser melhor ainda de certeza.

Comentar por Pete351

devemos ficar preocupados com a queda da ocupação?

Comentar por Allure

Estes números para Janeiro e Fevereiro já impressionam um pouco, e ainda estamos no começo do ano! Quais são as perspectivas para 2017? 10M? 11M? ou mais?

Comentar por Luis Abreu

Luis, o Pete tem a resposta um pouco acima.
Entre as estatísticas e o top 10 city pairs.

Previsão 2017: 10.656.498

Comentar por skiespassion

Queda de ocupação obviamente não é um bom sinal, mas como é caso isolado na temporada não preocupa. E sendo Janeiro, imagino que se houver capacidade a mais, as companhias cortem alguns dos reforços em Jan 18 e o assunto fica resolvido.

Comentar por Pete351

O novo aeroporto de Luanda deve abrir lá para 2020…
Luanda mesmo sem ligações deve continuar forte com o reforço de portugueses em Angola.

A TAAG vai reforçar a pressão que manterá sobre a TAP e concerteza que com a nova gestão começará a fazer dano na companhia portuguesa.

Comentar por Joao Carvalho

Mas para rever o bilateral é preciso que o acionista da TAP assine. Não sei se o Neeleman não fará pressão para que o Estado não assine…

Comentar por João

João Carvalho, a última informação que vi (pela imprensa angolana, é certo) foi que ainda iam abrir este ano o novo aeroporto. E pelas imagens que vi, nem sei como é que se pode justificar uma derrapagem até 2020, parece quase pronto.

Relativamente ao dano à TAP, acho que mais é difícil: a TAAG já transporta 3 de cada 4 passageiros entre Portugal e Angola. Agora imagina com ligações excelentes à Africa do Sul, Moçambique a Namíbia e uma politica comercial agressiva a acompanhar como é que vai ser…

Comentar por Pete351

A TAAG tem apostado em por fora do mercado as concorrentes, com muita ajuda do governo, questões da expatriação de divisas, etc.

A TAP vai continuar a sofrer em Angola.

O aeroporto de Luanda, além de ter uma péssima localização tem todo um problema de acessos que estão longe de assegurados para que possa começar a operar.

Era bom a TAAG conseguir expandir a operação no AFSC, mas com a guerra em Lisboa duvido que venha a acontecer brevemente.

Comentar por Joao Carvalho

Acho que estás a ser um bocado injusto. A TAAG de hoje tem uma gestão excelente à custa da parceria com a Emirates, e se é verdade que continuam no vermelho, também há que entender que não se vira uma companhia como a TAAG de um ano para o outro. Quanto à concorrência, até entendia se falasses de dificuldades de acesso ao mercado, mas vamos ser realistas e ver que as grandes rotas da TAAG são operadas em exclusivo. A excepção é mesmo Lisboa, que no fundo tem volume suficiente para aguentar 2 companhias. E mesmo as divisas, obviamente não sofrem como uma companhia estrangeira, mas os aviões e o combustível também têm que ser pagos em Dólares, pelo que tem problemas à mesma.

A TAP sofre desde que a TAAG entrou no Porto. Acharam que os angolanos não se chegavam à frente, e depois foi o que se viu. Vamos ver se aprenderam a lição e se chegam à frente com os A321LR.

Sobre um aumento de operação, sem aumento significativo de frequências no bilateral não vai acontecer.

Comentar por Pete351

E se chegarem com os A321LR à frente, que tipo de rotas poderão ser comtempladas Pete?

Comentar por Flipe

Do Porto? Só se mandarem o WB que aqui têm para Lisboa e puserem o A321 a fazer São Paulo, NY e Rio.

Comentar por João Ferreira

Na loucura acho que só mesmo Luanda. Podiam ter um A321LR para cobrir EWR (para NY provavelmente um A320neo já chegará) e LAD, e deixar o A330 para GIG, GRU e/ou VCP.

Na realidade, acho que a concorrência vai fazer longo curso com aviões narrowbody a partir do Porto antes da TAP.

Comentar por Pete351

E quem serão os melhores candidatos a esses voos de longo curso com narrowbody? Ou ainda é tudo muito verde?

A Level, que começa em Barcelona, poderá vir cá ter? Apesar de estarem com A330.

Comentar por João




Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s